PUBLICIDADE

Câmara de Ladário encerra semana com cassação do mandato de Paulo Rogério

Leonardo Cabral em 05 de Abril de 2019

Arquivo/Site Pérola News

Paulo Rogério foi cassado em sessão realizada nesta sexta-feira

Sem advogado de defesa, o vereador Paulo Rogério Feliciano Barbosa (PMN) teve o mandato cassado, por oito votos durante sessão de julgamento no plenário da Câmara Municipal de Ladário, nesta sexta-feira, 05 de abril. Agora, já são cinco os vereadores cassados por envolvimento no esquema de corrupção que ficou conhecido como “Mensalinho”.

O presidente do Legislativo ladarense, Daniel Benzi (MDB), disse que a defesa de Paulo Rogério foi notificada, mas não compareceu ao ato processante. “Agora é publicar o decreto com a decisão da cassação. Apenas não votaram a vereadora Delari Bottega (PP), por ser suplente direta do processado e Fábio Seren da Silva (PMN) por compor a coligação”, disse Daniel Benzi. Também não participaram da sessão os vereadores Fábio Peixoto e Jonilson, que pediram afastamento, por serem parte dos denunciantes.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Presidente da Câmara, Daniel Benzi (à esquerda), presidiu a sessão de julgamento

Ainda faltam ser julgados os processos dos vereadores André Caffaro e Vagner Gonçalves. “O André conseguiu mandado de segurança onde solicitou cópias de algumas atas de recebimento da formação das comissões processantes e, por conta disso, tivemos que devolver o prazo para que pudesse complementar a defesa prévia. Depois de seguidos os trâmites, a audiência de julgamento será marcada”, afirmou o assessor jurídico da Câmara, George Fuentes de Oliveira..

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Sessão aconteceu sem a presença do advogado de defesa do vereador cassado

Já em relação ao vereador Vagner Gonçalves, como houve um prejuízo com a sessão de instrução da comissão processante que não foi realizada na tarde de quinta-feira (04), como previsto pela Casa de Leis, deve-se aguardar a instrução. “Por conta de uma audiência do advogado de defesa do acusado, foi designada para esta sexta-feira a instrução processual, que é a oitiva de testemunha de acusação, de defesa da denunciante e do próprio acusado, onde então, se abrirá prazo posteriormente para relatório e alegações finais”, explicou George.  

Seis perderam mandatos

Já são cinco os acusados de envolvimento em esquema de corrupção, que perderam o mandato.  Agnaldo dos Santos Silva Junior (PTB); Lilia Maria Villalva de Moraes (MDB), Augusto de Campos (MDB), o "Gugu", Osvalmir Nunes da Silva (PSDB), o "Baguá", e Paulo Rogério. 

Além dos vereadores,  Carlos Anibal Ruso (PSDB) também perdeu o mandato de prefeito de Ladário.

Mensalinho

A Câmara de Ladário instalou três Comissões Processantes para apurar as acusações contra o ex-prefeito Carlos Ruso (PSDB), que teve o mandato cassado na segunda-feira (1º) e os sete vereadores. Foram três meses de trabalho.

Eles foram presos junto com o ex-secretário de Educação, Helder Botelho, no dia 26 de novembro de 2018, no caso que ficou conhecido como "mensalinho". A investigação do Gaeco e do Ministério Público Estadual apontou que para ter apoio político, Ruso pagava valores mensais ao grupo que variavam entre R$ 1,5 mil e R$ 3,5 mil. O esquema acontecia há mais de um ano. Indicação de cargos na Secretaria de Educação, pelos vereadores acusados, também fazia parte do "acordo" e quem cuidava da nomeação era o então secretário de Educação, Helder Botelho. Os parlamentares ainda teriam barrado uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) que averiguava denúncias de irregularidades na Saúde.

Todos permanecem presos em Campo Grande. A pastora Lilia está em prisão domiciliar.

PUBLICIDADE