PUBLICIDADE

Corumbá registra primeira morte por dengue em 2020

Rosana Nunes em 09 de Janeiro de 2020

Reprodução

Lucian não resistiu à gravidade da doença e morreu nesta manhã

Corumbá registrou, nesta quinta-feira, 09 de janeiro, o primeiro óbito por dengue hemorrágica, o tipo mais grave da doença, em 2020. O paciente, Lucian Andrade, de 29 anos, foi internado primeiro no Hospital da Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores de Mato Grosso do Sul); no dia 07, foi transferido para a Santa Casa e, na quarta-feira (08), com o grave quadro de saúde, foi levado para o CTI (Centro de Tratamento Intensivo), onde faleceu no final da manhã desta quinta. 

Segundo a assessoria da Secretaria Municipal de Saúde, exame feito por meio da Cassems, em laboratório particular, confirmou o diagnóstico de dengue tipo grave no dia 03 de janeiro. A SES (Secretaria de Estado de Saúde) informou ao site Campo Grande News que trata o caso como suspeita e que uma amostra do exame foi encaminhada para o Lacen (Laboratório Central).  

Os sintomas iniciais da dengue tipo grave são parecidos com os da dengue clássica, e após o terceiro ou quarto dia, surgem hemorragias causadas pelo sangramento de pequenos vasos da pele e outros órgãos. O quadro clínico se agrava rapidamente, apresentando sinais de insuficiência circulatória, levando o paciente à morte em pouco tempo.

Números e prevenção 

Em 2019, a cidade pantaneira registrou 1.403 notificações de suspeita da doença, 225 foram confirmadas e uma pessoa morreu. Nas semanas epidemiológicas de 2020 já foram registradas cerca de 100 notificações de casos suspeitos e um óbito.

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão ocorre através da picada do mosquito Aedes aegypti. Por isso, as autoridades em saúde reforçam a importância de a população tomar medidas que evitem a proliferação do mosquito transmissor. A Secretaria de Saúde de Corumbá disponibiliza telefones para moradores também denunciarem locais, como terrenos baldios e imóveis abandonados, com possíveis foco. O anonimato é garantido. Os números são: 0800 647 2255 / 0800 647 2109 / 3233-2783.

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

  • Manter bem tampados tonéis, caixas e barris de água;
  • Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;
  • Manter caixas d’agua bem fechadas;
  • Remover galhos e folhas de calhas;
  • Não deixar água acumulada sobre a laje;
  • Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;
  • Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;
  • Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;
  • Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;
  • Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;
  • Acondicionar pneus em locais cobertos;
  • Fazer sempre manutenção de piscinas;
  • Tampar ralos;
  • Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;
  • Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;
  • Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;
  • Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;
  • Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;
  • Catar sacos plásticos e lixo do quintal.
PUBLICIDADE