PUBLICIDADE

Queima controlada no Pantanal está proibida por mais um mês

Campo Grande News em 31 de Outubro de 2019

Chico Ribeiro/Governo do Estado

Focos de incêndio na BR-262, em Corumbá, voltaram a aumentar no último fim de semana

A situação crítica de focos de incêndios em Mato Grosso do Sul determinou a prorrogação da proibição da queima controlada nas áreas do Pantanal. A resolução publicada hoje no Diário Oficial se estende até 30 de novembro.

A resolução é assinada pelo titular da Semagro (Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Jaime Verruck e pelo superintendente do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais e Renováveis), Luiz Carlos Marchetti.

A determinação é mais abrangente que a portaria publicada no dia 13 de setembro do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de MS), em que a proibição da queima controlada em canavial, regularmente feita, desde 2014, de 1º de agosto a 30 de setembro, havia sido estendida até 31 de outubro. Hoje, data em que essa medida perderia a validade, a Semagro publicou a resolução, estendendo as restrições até 30 de novembro no bioma.

A exceção mantida é a que se refere à queima controlada utilizada nos cursos de capacitação promovidos pelas entidades do Comitê Interinstitucional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais em Mato Grosso do Sul.

Em setembro, a região do Pantanal foi castigada com incêndios, que atingiram áreas de importância turística e ecológica, como a Reserva Ecológica Caimãn, em que 35 mil hectares foram consumidos pelas chamas.

No dia 27 de outubro, as chamas voltaram a atingir a região, com focos encontrados ao longo da BR-262, chegando ao Passo do Lontra e Buraco das Piranhas. A estimativa é que o fogo destruiu cerca de 50 mil hectares.

Dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Mato Grosso do Sul registrou 2.307 focos em outubro. Corumbá concentra 70% deste total, 1.624, seguido de outros municípios pantaneiros: Aquidauana (310) e Miranda (167). O Pantanal registra 91,8% desses focos. Corpo de Bombeiros e Prevfogo reforçaram equipes no combate às chamas.

PUBLICIDADE