PUBLICIDADE

Bolivianos que vieram de SP e RJ vão ficar isolados por 14 dias na fronteira

Leonardo Cabral em 23 de Março de 2020

Diário Corumbaense

Exército esteve por algumas horas no Esdras, porém PF e Força Nacional fazem o controle migratório

A fronteira da Bolívia com Corumbá segue fechada por determinação do governo boliviano para conter a propagação do novo coronavírus.

Do lado de Corumbá, onde também foi determinado o fechamento da fronteira com o país vizinho pelo governo federal, o controle migratório é feito pela Força Nacional e pela Polícia Federal. Por ser área de fronteira seca, agentes dos dois órgãos de segurança, abordam os estrangeiros e fazem uma "triagem" sobre o motivo do ingresso no país e dependendo da situação, a entrada é liberada. Caminhões de cargas têm acesso permitido.

Já do lado boliviano, a situação é mais restrita. Estrangeiros seguem proibidos de entrar no país andino. Além disso,os bolivianos estão em quarentena desde domingo (22). Ninguém pode circular nas ruas, só é permitida a saída de uma pessoa por família, para fazer compras em supermercados, farmácias, para não desabastecer as famílias.

Um grupo de bolivianos, com mais de 30 pessoas, entre mulheres, crianças e homens, desembarcou na noite de domingo, 22 de março em Corumbá e seguiram até a ponte da Amizade, que divide o território entre o Brasil e a Bolívia.

Lá, eles foram impedidos pelos militares bolivianos de ingressar em território nacional, pois a maioria veio de uma área vermelha, considerada de risco, como as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e da Indonésia.

Diário Corumbaense

Grupo de de viajantes bolivianos ficará em quarentena para poder ingressar no país

Em entrevista ao Diário Corumbaense, o gerente da Rede de Saúde da Província de German Busch, Edgar Hinojosa, que também é responsável pelo Serviço Departamental de Saúde na fronteira, explicou que o grupo será monitorado pela equipe de Saúde.

“Eles ficarão em quarentena por 14 dias, pois estão ingressando na Bolívia depois de virem de uma área vermelha. Pode haver a possibilidade de algum testar positivo ou não, mas até o momento pela triagem feita, nenhum apresentou os sintomas, porém, seguindo as recomendações, eles serão levados para um hotel, no território boliviano. O governo irá arcar com as despesas, e lá, cumprirão o isolamento pelo tempo determinado. Depois, se não houver nenhum problema, poderão ingressar na Bolívia”, explicou Edgar.

“Aqui ainda não temos casos suspeitos da doença. Tudo o que estamos fazendo, diante da nossa estrutura que temos, é trabalho de prevenção contra o coronavírus”, falou informando ainda que qualquer pessoa que for flagrada circulando nas ruas, é presa e paga multa, de acordo com as determinações do governo boliviano.

PUBLICIDADE