PUBLICIDADE

Comissão da Câmara Federal aponta ação humana nas queimadas no Pantanal

Rosana Nunes em 10 de Dezembro de 2020

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Parte de área pantaneira devastada pelo fogo

Relatório final da Comissão Externa do Congresso Nacional apontou ação humana nas queimadas no Pantanal. O documento, de mais de 300 páginas, foi apresentado aos membros da comissão na quarta-feira, 09 de dezembro. O colegiado deve continuar os trabalhos em 2021, atuando nos biomas Cerrado e Amazônia.

O texto deixou claro que a maioria dos incêndios teve origem em alguma forma de ação humana. “De fato, parece não haver dúvidas de que a grande maioria dos incêndios no Pantanal teve origem em alguma forma de ação humana. São vários depoimentos de pesquisadores e de autoridades, inclusive de delegados de polícia responsáveis pela investigação, que apontam a presença humana na origem da absoluta maioria dos incêndios. No entanto, se o homem está há muito presente no Pantanal, é necessário compreender por qual razão, neste ano de 2020, os incêndios derivados da ação antrópica atingiram patamares muito acima dos anteriormente observados", disse a deputada federal e coordenadora do grupo, Professora Rosa Neide (PT-MT).

Foram 33 mil quilômetros quadrados incendiados; 14% do bioma apenas no mês de setembro. Estudos apontam que a área queimada no Pantanal em 2020 supera em 10 vezes a área de vegetação natural perdida em 18 anos.

A comissão vai agora tentar aprovar com urgência o projeto (PL 9950/18) que trata da conservação e do uso sustentável do Pantanal. Apenas 4,6% do território do bioma Pantanal são protegidos por unidades de conservação. A comissão ainda elaborou cinco propostas legislativas (PLs 4670/20, 5009/20, 5268/20, 5269/20 e uma PEC em fase de coleta de assinaturas). Um deles (PL 4670/20) trata do resgate de animais. Também cobra a contratação de brigadistas para a área atingida, além da disponibilização de equipamentos e aeronaves adequados para a tarefa e ações para proteger os povos indígenas da região.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) mostram que Corumbá segue liderando o ranking de queimadas por município. São 8.202 focos registrados na cidade este ano, sendo 11 somente nas últimas 48 horas. No bioma Pantanal foram contabilizados 21.947 focos de incêndios florestais ao longo de 2020.

Com informações da Agência Câmara de Notícias.

PUBLICIDADE