PUBLICIDADE

Bombeiros de Aquidauana e Jardim reforçam equipes que combatem fogo na Serra do Amolar

Leonardo Cabral em 04 de Novembro de 2020

Enviada ao Diário Corumbaense

Serra do Amolar voltou a registrar focos de incêndios que já estavam controlados

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar partiram na manhã desta quarta-feira (04) para reforçar o combate aos focos de incêndios na Serra do Amolar.

Distante a aproximadamente 170 quilômetros de Corumbá, as equipes seguem via fluvial, numa viagem que leva em média de cinco a seis horas até a área queimada. Militares dos bombeiros de Aquidauana e Jardim seguem para o local, onde já estão outros bombeiros e brigadistas do Prevfogo/Ibama.

O fogo voltou a castigar a região do Amolar, que durante os últimos meses teve grande área destruída pelo fogo. As chuvas nas últimas semanas de outubro ajudou a controlar os focos, mas a trégua não durou nem 15 dias, e o fogo voltou.

“Estamos com uma situação na Serra do Amolar, com fogo que acabou ‘pulando’ o rio Paraguai. Esse foco estava no Parque Nacional do Pantanal, do lado de Mato Grosso, ele se alastrou e voltou a queimar áreas da Serra do Amolar, nas proximidades da região do Curizal”, falou Alexandre Pereira, analista ambiental do Prevfogo/Ibama.

Relatório semanal  

Segundo o Prevfogo/Ibama, os dados emitidos semanalmente em relatório, não foram atualizados nesta semana por falta de imagens de um satélite da Nasa. Em mensagem o laboratório responsável pela captação dessas imagens, explicou que desde o dia 28 de outubro o LASA deixou de ter acesso às imagens do sensor VIIRS da Nasa, por este motivo não foi possível o monitoramento diário da área queimada do sistema ALARMES.

A situação afetou todos os usuários globais do sistema LAADS e foi decorrente de um acidente que acarretou a perda dos arquivos do sistema da Nasa, que informou ainda estar trabalhando para a rápida solução do problema e normalização dos dados. Os dados serão atualizados assim que informações adicionais forem obtidas.

No entanto, os últimos dados, divulgados no dia 27 de outubro, do período que corresponde de 01 a 25 do mesmo mês, mostram que 28% do Pantanal já foram devastados pelo fogo, o que representa 4.167.000 hectares já queimados.

Desse total, só em Mato Grosso do Sul, foram 1.917.000 hectares. No estado vizinho, Mato Grosso, 2.250.000 hectares.