PUBLICIDADE

Focos de incêndio ultrapassam os 3,5 mil em Corumbá e combate segue na Serra do Amolar

Leonardo Cabral em 09 de Agosto de 2020

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Fogo segue devastando área no Pantanal

Os focos de incêndios que já ultrapassam os 3,5 mil em Corumbá e chegam a quase 6 mil no Pantanal,  uma das maiores queimadas das últimas três décadas, segue devastado a maior área alagada do planeta. Alguns focos estão próximos à área urbana da cidade e também localizadas na Serra do Amolar, considerada uma das mais belas do bioma pantaneiro.  

“Ontem conseguimos remover brigadistas que estavam atrás da Serra do Amolar, onde os focos foram controlados. Agora, eles estão na Serra Negra, comunidade da Amolar, onde o fogo está do outro lado. Ali, vamos manter um esquema de controle, para que os focos não sigam em direção às reservas. Porém, de uma forma em geral, na região do Paiaguás, sentido para baixo, há vários focos de queimadas e a situação é quase incontrolável”, disse ao Diário Corumbaense, Ângelo Rabelo, do Instituto Homem Pantaneiro.

Foto enviada ao Diário Corumbaense

Grande área já foi queimada no Pantanal de Corumbá

"Podemos dizer que de fato tivemos vitória parcial, não deixando o fogo subir a Serra. Mas, enquanto não vir chuva forte e for extinto o risco iminente de atingir as reservas, vamos estar lá contendo os focos”, contou. Outro fator que contribui para que o fogo se alastre é o vento. “O vento muda de direção a todo momento e isso dificulta os trabalhos”, completou.

Situação jamais vista

“É uma situação jamais vista, mais de 3 mil focos de fogo, desde fevereiro. Sem precedentes na história, para todos nós está sendo uma curva de aprendizado para se preparar para situações que possam vir no futuro, lembrando ainda que temos um semestre inteiro pela frente”, afirmou.

Conforme levantamento do Ibama, a área queimada estimada do início do ano até agora é de aproximadamente 1.250.000 hectares em todo o Bioma Pantanal. 

As equipes do Ibama/Prevfogo estão priorizando os incêndios que ocorrem na região da Serra do Amolar e da Estrada Parque. Na Serra do Amolar há duas frentes de combate, entre brigadistas e moradores da região. O deslocamento até a região foi realizado com o apoio de helicóptero do Exército Brasileiro. Estão sendo utilizados equipamentos e ferramentas manuais, bem como motobombas com mangueiras para lançamento de água nas chamas.

Diário Corumbaense

Fogo também consome vegetação na Estrada Parque

Além disso, as queimadas já chegaram na Estrada Parque, onde o Ibama/Prevfogo atua no combate às chamas com 10 brigadistas equipados com ferramentas e equipamentos manuais, moto soprador costal. Os proprietários rurais disponibilizam um trator com pipa de 5 mil litros de água e outro trator com pá carregadeira.

De janeiro até os nove dias de agosto, Corumbá já registrou 3.567 focos de incêndios e segue liderando o ranking de queimadas por municípios. Só em agosto, a cidade pantaneira teve registro de 920 focos. Nas últimas 24h, Corumbá contabilizou 169 focos de queimadas. O bioma Pantanal tem 5.880 focos.

PUBLICIDADE