TSE boliviano cancela candidatura a senador de Evo Morales

Leonardo Cabral em 19 de Fevereiro de 2020

Reprodução/El Deber

Evo Morales foi presidente da Bolívia de janeiro de 2006 a novembro de 2019

Após um prolongado debate que durou até meia-noite, a Câmara do Supremo Tribunal Eleitoral (TSE) decidiu não homologar as candidaturas de Evo Morales e Diego Pary. Morales era candidato a primeiro senador por Cochabamba e Diego Pary, vinha como primeiro senador por Potosí.

Assim, o corpo eleitoral encerrou o debate que se iniciou em 29 de janeiro, quando foi anunciado que Morales retornaria à Bolívia, mas como candidato a senador, o que causou muitas especulações.

Já Luis Arce, candidato do MAS à presidência, mesmo partido de Evo, foi habilitado e poderá concorrer nas Eleições gerais em 03 de maio. De acordo com as fontes consultadas pelo jornal El Deber, a decisão do cancelamento da candidatura de Morales deverá ser divulgada ainda hoje aos meios de comunicação. 

Evo Morales comandou a Bolívia de janeiro de 2006 a novembro de 2019. Pressionado pelas mobilizações de cidadãos que denunciaram fraudes nas eleições de 20 de outubro do ano passado, ele renunciou à presidência e deixou o País.

PUBLICIDADE