Bolívia já tem seis nomes para a disputa presidencial em maio

Leonardo Cabral em 20 de Janeiro de 2020

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

Ao menos seis candidatos manifestaram interesse em disputar as Eleições presidenciais em maio

As eleições na Bolívia, marcadas para o dia 03 de maio, já tem os possíveis nomes que irão concorrer à Presidência. Entre eles, está o principal opositor de Evo Morales, Carlos Mesa e também Luis Fernando Camacho. Os nomes foram citados pela imprensa daquele país a duas semanas praticamente do prazo estabelecido pelo calendário eleitoral para o registro de candidatos, que se encerra no dia 03 de fevereiro.

O MAS, partido de Evo Morales, que deixou a presidência em novembro de 2019, e a Comunidade do Cidudadana, anunciaram  participação, assim como os ex-líderes cívicos Marco Pumari, junto com Camacho, embora não tenham informado em qual sigla irão disputar as eleições.

Saiba quem são os possíveis candidatos:

MAS

O Movimento para o Socialismo (MAS) apresentou Luis Arce (ex-ministro da Economia) e David Choquehuanca (ex-chanceler) como candidatos a presidente e vice, respectivamente. O anúncio oficial da candidatura foi feito na Argentina pelo ex-presidente e líder do partido, Evo Morales.

Esse binômio, no entanto, tem sido observado por setores que compõem o Pacto de Unidade (Bartolinas, Confederação Sindical Única de Trabalhadores Camponeses da Bolívia e Trabalhadores Interculturais, entre outros), que optaram por Choquehuanca como presidente.

Comunidad Ciudadana

Comunidade de Cidadãos é outro partido que confirmou sua intenção de participar. Carlos Mesa seria candidato à Presidência e Gustavo Pedraza, a vice.

No entanto, nos últimos dias, surgiram versões de que o Gustavo não estaria na “mira” e que outra figura política foi procurada para acompanhar Mesa. Meios de comunicação mencionaram Ernesto Suarez, ex-governador de Beni, como substituto, mas ele negou essas informações no domingo através de sua conta no Twitter.

Camacho y Pumari, ex-cívicos

Entre as candidaturas está também o dos ex-cívicos Luis Fernando Camacho e Marco Pumari, embora não tenham confirmado sob qual sigla participarão. Dois partidos tradicionais (MNR e ADN) se ofereceram para se candidatar, mas o convite ainda não havia sido respondido.

Ambos ganharam destaque nacional depois de liderarem o processo pós-eleitoral que o país viveu durante os meses de outubro e novembro que terminou na renúncia de Morales.

Tuto Quiroga, ainda sem partido

Jorge Tuto Quiroga é outro oponente do MAS que também quer estrar na disputa. O ex-presidente e até algumas semanas atrás, delegado presidencial na comunidade internacional, foi um dos últimos a expressar sua intenção de participar da disputa presidencial.

Chi Hyun Chung

Chi Hyun Chung, responsável pelo PDC nas fracassadas eleições de outubro, também mostrou sua intenção de concorrer. No entanto, não se sabe por qual partido.

PDC lançou candidatura da neta do ex-presidente Barrientos

Jasmine Barrientos seria a nova candidata do Partido Democrata Cristão (PDC) para as próximas eleições. Ela é neta do ex-presidente boliviano René Barrientos Ortuño.

A apresentação foi feita há uma semana na cidade de La Paz e também em Santa Cruz. Barrientos disse que não concorda com a formação de uma única frente e previu que eles confirmarão sua força nas pesquisas como o terceiro grupo político no país.

Com informações do jornal El Deber. 

PUBLICIDADE