PUBLICIDADE

Torcida da fronteira está com coração dividido para Brasil x Bolívia

Leonardo Cabral em 14 de Junho de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Ana Alarcon e Laura Gomes já na preparação para a partida de logo mais

A poucas horas da estreia do Brasil contra a Bolívia, na Copa América 2019, boa parte dos bolivianos que moram e trabalham em Corumbá, cidade que faz fronteira com o país vizinho, está com o coração dividido na torcida pelas duas seleções. Preparando o seu estabelecimento comercial, localizado na rua Edu Rocha, para assistir o jogo de hoje à noite, a comerciante Ana Alarcon, que vive em Corumbá há pouco mais de 20 anos, disse que apesar de o Brasil a receber muito bem, a sua torcida será para a Bolívia.

“Desde 1994 não fomos mais para a Copa e a Copa América é como se fosse o mundial para nós, por isso vale a torcida para a nossa seleção da Bolívia. Aqui já trouxe a televisão e minha bandeira também, mais tarde vou colocar outros enfeites e esperar a hora do jogo, com uma vitória boliviana”, disse Ana que ainda arrisca um placar. “Pelo menos 1x0, resultado que nos deixaria contente”, completou ao Diário Corumbaense.

Ana ganhou o apoio da nora, Laura Gomes. “Acredito que a gente possa ganhar de 2x1, ainda mais o Brasil não tendo o Neymar. Vamos esperar e torcer, aqui junto com a minha sogra está tudo preparado para o jogo”, falou.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Jéssica disse ainda ter esperança na seleção boliviana

Esperançosa, a comerciante Jéssica Cruz, disse estar ansiosa. “Minha torcida vai para a Bolívia, tenho a esperança de a gente sair com vitória. Vale a pena torcer e confiar”, frisou também arriscando o placar de 2x1.

Coração dividido

Com o coração dividido, o comerciante que vive há 32 anos em Corumbá, Efrain Cruz, disse que a torcida será para as duas seleções.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Efrain Cruz disse que o coração está dividido

“Estou com o coração dividido, pois moro aqui no Brasil, por isso vou torcer para as duas seleções e quem ganhar estaremos no lucro. Até mandei fazer uma camiseta com as bandeiras do Brasil e da Bolívia”, destacou Efrain que já estava arrumando o estabelecimento com a bandeira brasileira e mais tarde, além da camiseta, irá colocar a bandeira da Bolívia também no local de trabalho.

Se ainda há esperança de uma vitória da seleção boliviana, há estrangeiros que irão torcer apenas para o Brasil, como Salomé Duran.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Salomé disse que Bolívia precisa renovar seleção e vai torcer para o Brasil

“O Brasil ganhou a minha torcida e vai ganhar de 4x0. Já perdi as esperanças com a seleção da Bolívia, sempre os mesmos jogadores, velhos, gordos. Eles não querem renovar e dar espaço para tantos jovens que temos no país para poderem ter a oportunidade de defender a nossa seleção. Por isso vou torcer pelo Brasil”, enfatizou a comerciante.

O confronto

De acordo com o Consulado Boliviano, cerca de 8 mil bolivianos residem em Mato Grosso do Sul. Desse total, pouco mais de 4 mil moram em Corumbá, município fronteiriço com as cidades de Puerto Quijarro e Puerto Suárez.

Brasil e Bolívia, que estão no Grupo A, junto com Peru e Venezuela, se enfrentam às 20h30 desta sexta-feira, 14 de junho, no estádio do Morumbi, em São Paulo, abrindo a Copa América 2019, que tem como sede o Brasil.  

Contra o adversário da estreia, a vantagem é expressiva, com apenas duas derrotas na Copa América, para a Bolívia. Uma delas, porém, os bolivianos não esquecem: por 5x4, em casa, derrotaram os então bicampeões mundiais e levaram o único título do país na competição, em 1963. A última vez que as duas seleções se enfrentaram no torneio foi em 1997, com vitória do Brasil por 3x1.

Em todas as quatro ocasiões em que recebeu a competição em casa, o Brasil saiu vencedor.

PUBLICIDADE