PUBLICIDADE

Paulo Corrêa conquista mais adesões para sua candidatura à presidência da Assembleia

Rosana Nunes com Campo Grande News em 06 de Dezembro de 2018

Edilene Borges/Assessoria

Felipe Orro (PSDB) também assinou apoio a Paulo Corrêa (PSDB), na disputa para presidência

O deputado Paulo Corrêa (PR) já tem 18 votos para sua candidatura à presidência da Assembleia. Ele conseguiu no final da manhã desta quinta-feira (06), a adesão dos dois parlamentares do PT – Pedro Kemp e Cabo Almi – além do colega de partido, Felipe Orro. O tucano colheu as assinaturas e disse que busca um consenso, para o pleito que vai ocorrer no dia 1° de fevereiro de 2019.

Escolhido pela bancada tucana e tendo o apoio do governo, Corrêa começou a buscar o apoio dos demais partidos para compor seu grupo de aliados. A primeira adesão foi do deputado eleito, Londres Machado (PSD), ainda na terça-feira (04). Eles tinham sido colegas de legenda no PR, e mantêm uma parceria antiga no legislativo.

Na quarta-feira (05) firmou acordo, logo pela manhã, com a bancada do MDB, recebendo apoio de Eduardo Rocha (MDB), Renato Câmara (MDB) e Márcio Fernandes. No período da tarde, este grupo se ampliou, quando o tucano teve a adesão do chamado “G6”, que é formado por Herculano Borges (SD), Lucas de Lima (SD), Evander Vendramini (PP), Gerson Claro (PP), Carlos Alberto David (PSL) e Neno Razuk (PTB).

As articulações continuaram nesta quinta, com o candidato tucano recebendo apoio da bancada do DEM, que é composta por Zé Teixeira e José Carlos Barbosa. Ainda durante a sessão chegaram mais três parlamentares neste grupo: Pedro Kemp (PT), Cabo Almi (PT) e Felipe Orro (PSDB).

Grupo

Desta forma, Corrêa já tem apoio de 18 dos 24 deputados. Ele fez questão de colher as assinaturas dos parlamentares que aderiram ao grupo, como forma de “oficializar” esta parceria. O tucano adiantou que em relação aos demais cargos, cada parlamentar vai “viabilizar” sua respectiva escolha.

A composição da mesa diretora segue com Eduardo Rocha (MDB) para a vice-presidência, e grandes chances de Zé Teixeira (DEM) continuar como primeiro-secretário. Ele revelou que já tem oito votos para permanecer no cargo. O chamado “G6” também tinha a intenção de ficar com este espaço, mas corre por fora.

Já a bancada do PT pediu a 2ª secretaria, que está com o partido na atual gestão. Corrêa ponderou que o pleito é “legítimo”, mas que no momento não pode assegurar a vaga, já que a decisão será deste grupo que está sendo montado.

Evander quer espaço em comissões

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Evander vai iniciar primeiro mandato e quer participar ativamente do dia a dia na Assembleia

O deputado eleito por Corumbá e Ladário para o primeiro mandato, Evander Vendramini (PP) disse que o grupo dos 6 firmou compromisso com Paulo Corrêa como consequência do apoio ao governador tucano Reinaldo Azambuja em seu segundo mandato, mas vai buscar espaço na mesa diretora e nas comissões da Casa.

"É fundamental que para a representação dos municípios, no meu caso Corumbá e Ladário, tenhamos espaço nas comissões para que os interesses da região sejam defendidos e eu vou brigar para participar", disse Evander.

"Uma força de seis votos tem que ser respeitada e também valorizada. Em nosso grupo todos têm preparo, experiência, uma formação boa para estar ocupando os espaços, evidentemente respeitando os nossos colegas que estão compondo", concluiu. 

PUBLICIDADE