PUBLICIDADE

Investigação aponta que suspeito de matar comerciante teria agido sozinho

Leonardo Cabral em 14 de Julho de 2020

O suspeito de matar a comerciante Liane Arruda, de 51 anos, cuja identidade ainda não foi revelada pelas autoridades policiais  e teve a prisão decretada, teria agido sozinho e permaneceu na casa da vítima pelo tempo aproximado de 30 minutos. A informação foi apurada pelo Diário Corumbaense junto à Polícia Civil. A linha de investigação é latrocínio (roubo seguido de morte).

Reprodução/Facebook

Investigação aponta que Liane foi rendida logo que chegou em casa, na noite de sábado

Imagens de câmeras de segurança que já foram analisadas pela investigação, revelam que na noite do crime, sábado (11), o indivíduo, que estava encapuzado, já esperava pela vítima, pois ela tinha o costume de levar funcionários do restaurante de sua propriedade, em casa. No momento em que ela recolhia o veículo na garagem, ele entrou e ficou por cerca de trinta minutos. 

Nesse tempo, o acusado rendeu a vítima e cobriu uma das câmeras de segurança internas com uma toalha de mesa. Liane foi amordaçada e morta com oito perfurações no pescoço, ocasionadas por canivete ou algo similar. Após cometer o crime, o homem pegou o carro da comerciante, levando dinheiro, jóias e o gabinete de computador que gravava imagens das câmeras do restaurante. 

Ele teria saído pela cidade, onde, então, se encontrou com outras pessoas, que a princípio, de acordo com as investigações, não sabiam do que havia ocorrido horas antes. Por isso, as garrafas de cerveja que estavam no veículo de Liane.

Até agora, sete pessoas já foram ouvidas no inquérito, o que possibilitou a identificação do suspeito, que quando entrou na casa, estava encapuzado. A Polícia Civil segue com diligências para localizar e prender o suspeito. 

O crime

O corpo de Liane Arruda foi encontrado na manhã de domingo (12), após um funcionário estranhar a demora da comerciante em abrir o restaurante, que fica na esquina das ruas América e Major Gama. Ele chegou às 07h e depois de uma longa espera, foi até a casa da irmã da vítima. Com a ajuda de uma outra pessoa, eles conseguiram entrar na casa que fica anexa ao prédio do restaurante.

Lá dentro, constataram que Liane não estava em seu quarto e ao verificarem o cômodo ao lado, a viram de bruços, morta. Ainda conforme os relatos, o dinheiro que estava no cofre da comerciante, em sua bolsa, e jóias, foram levados. Também havia envelopes de depósito bancário espalhados no quarto.

O carro de Liane, um Volkswagen Fox, também foi levado, mas encontrado abandonado próximo a pista do Aeroporto Internacional de Corumbá no final da manhã de domingo. Foram encontrados no veículo, garrafas de cerveja, o gabinete de computador (CPU) e um "pó branco" no banco de trás, que pode ser entorpecente. A maçaneta da porta do lado do motorista também tinha vestígios de sangue.

Leonardo Cabral/Diário Corumbaense

Carro da vítima, encontrado abandonado ao lado da pista do Aeroporto Internacional

PUBLICIDADE