PUBLICIDADE

Professores paralisam aulas e cobram vereadores para que votem reajuste

Marcelo Fernandes em 17 de Outubro de 2013

Professores da Rede Municipal de Ensino (Reme), de Ladário, entraram em greve nesta quarta-feira, 16 de outubro. O grupo praticamente “acampou” em frente à sede da Câmara de Vereadores da cidade à espera da votação do projeto de lei que estabeleceu reajuste de 8% para todos os servidores públicos municipais. A paralisação foi decidida numa assembleia geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Ladário (Sitel) realizada na tarde da terça-feira, dia 15.

Fotos: Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Na Câmara, professores aguardam votação do projeto de lei que estabeleceu reajuste de 8% para todos os servidores públicos municipais

“Estamos aqui mobilizados devido a não votação da lei do reajuste salarial. Ontem [dia 15] estivemos aqui nessa Casa de Leis para assistirmos a primeira votação. Quando chegamos, informaram que não teria votação porque não tinha quórum, a maioria dos vereadores não compareceu e não houve votação”, contou a este Diário a presidente do Sitel, professora Thânia Nazarete Colombo Ramires.

O legislativo ladarense tem uma sessão ordinária por semana que acontece terça-feira pela manhã. Na sessão da terça-feira, dia 15 de outubro, menos da metade dos 11 vereadores esteve presente. Os outros seis parlamentares faltaram e não houve quórum para a abertura da sessão e consequente votação do projeto que institui o reajuste salarial dos funcionários públicos daquele município.

“Lutamos desde 2009 [pelo reajuste], estamos com quatro anos de defasagem salarial. Estamos paralisados e todos indignados”, completou a dirigente sindical. De acordo com o Sindicato, as maiores escolas da Reme de Ladário estão com os professores em estado de greve. “Aqui tem da escola João Baptista, que está paralisada nos três períodos, é a maior da Rede, tem da escola Francisco Sampaio”, pontuou.

“A Secretaria de Educação fez reunião com gestores das escolas e pediu que chamassem os professores para voltar porque estaríamos fazendo uma paralisação ilegal. Não é ilegal, estamos reivindicando direitos”, argumentou Thânia Ramires. Ela reforçou que os professores vão manter a mobilização até que o reajuste salarial seja aprovado pelos vereadores. “Vamos manter a nossa adesão à paralisação até o dia da aprovação do projeto de lei”, finalizou.

Reposição de aulas

A secretária Municipal de Educação, Maria Eulina Rocha dos Santos, informou ao Diário que a adesão dos professores da Rede Municipal à greve é parcial. Ela disse que os diretores das escolas, que têm profissionais participando da mobilização, estão informando aos pais de alunos que as aulas perdidas serão repostas posteriormente.

Em greve, professores protestam cobrando votação do projeto pelos vereadores ladarenses

“Não é adesão total, é parcial. Estamos em constante negociação para que nenhuma criança seja prejudicada. Vamos elaborar um calendário para que sejam cumpridas as 800 horas e os 200 dias letivos de todos os nossos alunos”, afirmou Maria Eulina. Levantamento no fim da tarde de ontem identificou que 79 professores não compareceram às aulas na quarta-feira. A rede municipal conta com 246 professores. A greve teve, naquele dia, adesão de pouco mais de 30% dos profissionais.

Comentários:

Antônio Carlos Alves: Sou professor em Corumbá e recebemos até razoavelmente bem. Mas tenho colegas que trabalham em Ladário que recebem muito pouco. A cobrança é imensa, mas o salário é muito defasado. Precisamos dá mais valor aos profissionais de educação. Um salário digno seria no mínimo o básico...

MANOEL BARROS DE SANTANA: A PERGUNTA É ONDE ESTAVAM OS VEREADORES QUE FALTARAM A SESSÃO?

Erica Almeida Miranda: ISSO MESMO! TEM QUE REIVINDICAR SEUS DIREITOS

elizandra teixeira: Parabéns professores, estão demonstrando que em Ladário existem profissionais competentes e com direito constitucional de reivindicação por melhores salários, cobra - se tanto dos professores é hora de compensa -los mesmo que irrisoriamente ( vergonhoso). Esta manifestação mostram que estão vivos e com direito a voz, vamos nos lembrar destas caras e destes nomes na próxima eleição!!!!!!

MANOEL BARROS DE SANTANA: OS VEREADORES FALTAM A SESSÃO, NOS PAGAMOS OS SEUS SALÁRIOS.

PUBLICIDADE