PUBLICIDADE

Devotos celebram Nossa Senhora da Candelária, padroeira de Corumbá

Leonardo Cabral em 02 de Fevereiro de 2024

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Missa celebrada em homenagem à padroeira de Corumbá

Desde as primeiras horas desta sexta-feira, 02 de fevereiro, feriado municipal, fiéis marcaram presença na “Catedral Mãe”, para celebrar a padroeira de Corumbá, Nossa Senhora da Candelária. 

Ao Diário Corumbaense, o padre Júlio Cesar Silva Mônaco, pároco da Catedral, falou sobre a importância da santa para os católicos.

“Padroeira, que recebe título de Candelária, ou candeias, ou Nossa Senhora das Luzes. Representa os 40 dias após o nascimento, o menino Jesus foi levado ao templo pelos seus pais, Maria e José, para ser consagrado ao Senhor, ou seja, a Igreja celebra a festa da apresentação do menino Jesus no templo e com essa festa, se encerram os festejos natalinos. Quando Frei Mariano construiu a Igreja Matriz, primeiro título foi Divino do Espírito Santo, porém ele mudou para Nossa Senhora da Candelária, então com a criação da Diocese de Corumbá em 1910, ela tornou-se a padroeira da Diocese e da cidade”, explicou o padre.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Walter e Neide, unidos pela fé à Nossa Senhora da Candelária

Participando das celebrações, o casal Walter Marques Lontra, de 77 anos e Neide Alves Marques Lontra, 73 anos, estavam juntos à imagem agradecendo pelas graças alcançadas.

“Assistimos a missa, como todos os anos. Sempre estamos aqui festejando a nossa mãe e nossa padroeira. Final do ano fiquei ruim da minha perna e pedi tanto à ela, para que ajudasse, e hoje, estou conseguindo andar e vir aqui agradecer. É um momento de muita fé e devoção”, disse Neide, amparada pelo esposo, Walter, “temos que ter muita fé sempre. Sempre estamos aqui celebrando ela”, completou.

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Dalva diz que veio agradecer as bênçãos alcançadas

No canto da imagem, de olhos fechados, Dalva Benites, 68 anos, também agradecia pelas bênçãos.

“Todos os anos participo dessa linda festa. É muito importante para a cidade, para nós católicos, temos que ter uma fé e devoção. Vim aqui agradecer tantas coisas boas e pedir mais bênçãos. É um privilégio de Deus estar aqui, poder levantar e estar ao lado de Nossa Senhora e celebrando o dia dela”, mencionou a devota.

Homenagem ao longo do dia

As comemorações começaram no dia 24 de janeiro. Foram nove dias de intensa programação até hoje, 02 de fevereiro, ponto alto da festa. Às 06h e 07h30, iniciaram as missas e no decorrer do dia as celebrações prosseguem às 09h, 10h30, 18h.

Depois, houve carreata com a imagem da padroeira de Corumbá pelas ruas da cidade. No final da manhã tem almoço com show musical e quermesse, que conta também com brechó com diversos produtos, entre roupas e calçados.

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Tradicional quermesse começou às 11h, com vendas de comidas, bebidas típicas e brechó

Às 19 horas, acontece a procissão luminosa seguida da missa solene e a coroação da imagem da santa. Às 20h30, segue a quermesse, com show musical.

A Santa

Fray Alonso de Espinosa, no ano de 1594, registrou uma lenda sobre uma imagem da Virgem Maria, na qual ela carrega uma criança em sua mão direita e uma vela verde na mão esquerda. A estátua foi encontrada por dois pastores em 1392, na praia de Chimisay (Güímar). No acontecido, um dos pastores tentou acertar uma pedra na imagem, mas não conseguiu porque seu braço ficou paralisado. Já o outro acabou esfaqueando a si mesmo ao tentar esfaquear a imagem da Santa. Os pastores contaram ao rei local sobre o acontecido e voltaram à imagem, porém, dessa vez, com reverência e temor. Depois disso, a imagem foi levada para a Cueva de Chinguaro, onde ficava o rei.

Nossa Senhora da Candelária é uma das designações atribuídas à Virgem Maria. É a padroeira das Ilhas Canárias, venerada na Igreja Católica. Imagem fica na Basílica e Real Santuário Mariano de Nossa Senhora da Candelária na cidade de Candelaria, em Tenerife.

A Matriz em Corumbá

Reformada pela Prefeitura de Corumbá, Governo do Estado e Governo Federal, a Igreja foi reaberta ao público em 2022, após ficar fechada por seis anos.

A Matriz de Nossa Senhora da Candelária é uma das mais antigas do Estado, foi construída por Frei Mariano de Bagnaia no século 19 e, desde 2017, é Patrimônio Histórico e Cultural de Corumbá. Em 2021 foi tombada pelo Governo do Estado como Patrimônio Histórico Material de Mato Grosso do Sul.

O templo foi erguido com elementos da arquitetura eclética em frente à Praça da República, onde se deu a heroica retomada de Corumbá durante a Guerra do Paraguai (1864-1870). Em seu altar, destaca-se um brasão da coroa portuguesa, o que indica as influências europeias no bem, e guarda também uma imagem de Nossa Senhora da Candelária, padroeira da cidade.

Receba as principais notícias de Corumbá, Ladário e MS pelo WhatsApp do Diário Corumbaense. Clique aqui para entrar em um de nossos grupos.