PUBLICIDADE

Riedel diz que vai ampliar projetos de modernização no Pantanal

Da Redação com assessoria de imprensa em 03 de Maio de 2022

Saul Schramm

Ilumina Pantanal é uma iniciativa sem precedentes, destacou Eduardo Riedel

“Ao levarmos energia para o Pantanal, damos dignidade ao pantaneiro. Nos próximos anos, vamos ampliar projetos que levem tecnologia à região”, afirmou nesta terça-feira (03) o pré-candidato ao Governo do Estado, Eduardo Riedel, em referência ao projeto Ilumina Pantanal, desenvolvido pelo Governo do Estado, em parceria com a Energisa, Ministério de Minas e Energia e Aneel. O programa teve a etapa inicial da universalização antecipada em dois meses, em fevereiro deste ano.

Ao todo, 2.167 unidades consumidoras foram beneficiadas, sendo 77 famílias atendidas por rede de distribuição convencional, e 2.090 clientes por meio do SIGFI (Sistema Individual de Energia Elétrica com Fonte Intermitente), cuja fonte de energia é solar. Os investimentos, de R$ 134 milhões, abrangeram os municípios de Corumbá, Aquidauana, Coxim, Ladário, Porto Murtinho, Rio Verde e Miranda. 

“Nesta primeira fase beneficiamos famílias de ribeirinhos e produtores locais, e agora o Ilumina Pantanal chegou às comunidades indígenas do Pantanal sul-mato-grossense. Trata-se de uma iniciativa sem precedentes, com o intuito de levar energia elétrica a localidades remotas do nosso estado. Nos próximos anos, vamos continuar focados nesta estratégia”, afirmou Riedel. 

O projeto foi eleito no ano passado o grande vencedor do Solar & Storage Live Awards 2021, na categoria “International Solar and/or Storage Project of the Year” (em português: Projeto Internacional Solar e/ou Armazenamento do Ano). Além de seu objetivo primário – levar energia a quem precisa – o projeto está inserido no conceito do programa Estado Carbono Neutro, apresentado por MS na COP 26, pois traz uma fonte de energia limpa e renovável que já está proporcionando um salto na qualidade de vida da população de toda a região pantaneira.

Contemplado com o programa, o ribeirinho João da Conceição Ferreira contou a alegria e satisfação de dispor de energia solar em sua casa, que o ajuda a conservar os peixes que ele leva depois para vender na cidade. “Vivemos da pesca, e agora não temos aquela pressa de levar à cidade para vender. Ficou muito bom. Deus abençoa quem fez este projeto para nós”, descreveu. Ele mora na beira do Rio Paraguai, em uma casa de palafitas no distrito de Porto da Manga, que fica a 60 km de Corumbá. Junto com a sua esposa, Franciele Lugo Nunes Tejara, que também é pescadora.

Fiscalização

Nesta semana, a AGEMS (Agência Estadual de Regulação de Serviços  Públicos) está atuando para verificar como está o fornecimento de energia elétrica a mais de 200 famílias moradoras do Pantanal depois da  conclusão da primeira fase do programa de universalização que levou rede e placas solares a uma região antes isolada. Os trabalhos começam nesta terça-feira (03) e seguem até o final do mês.

“Essa é uma etapa muito importante, que dá seguimento à implantação do projeto de eletrificação rural. Nossos analistas vão inspecionar se todo o trabalho técnico foi executado de forma regular pela distribuidora, os procedimentos, os resultados e a normalidade do fornecimento do serviço implantado naquela região”, explica o diretor de Gás e Energia, Valter Almeida da Silva.

PUBLICIDADE