PUBLICIDADE

Zeca do PT retira nome da corrida eleitoral ao governo do Estado

Campo Grande News em 06 de Abril de 2022

[foto1A diretoria executiva estadual do PT (Partido dos Trabalhadores) publicou nota informando que o ex-governador José Orcírio Miranda, o Zeca do PT, retirou sua pré-candidatura ao governo do Estado por motivos pessoais.  Conforme o documento, o partido confirmou que, nos próximos dias, irá apresentar um novo nome para pré-candidato a sucessão estadual. A expectativa é que uma série de conversas internas ocorram durante esta semana e uma coletiva de imprensa seja convocada para anunciar o futuro do partido para as eleições de outubro deste ano.

"Durante os últimos meses, conseguimos construir chapas representativas para deputadas e deputados estaduais e federais, temos três pré-candidaturas ao Senado, iniciamos a elaboração do nosso Programa de Governo, e estamos num forte processo de mobilização com os nossos encontros regionais e a criação dos comitês populares de luta e resistência, demonstrando a força e a disposição da nossa militância", assinou o presidente do partido, Vladimir Ferreira.

Dentre os motivos para manter um representante na disputa, está a necessidade de uma aliança no campo progressista, democrático e de esquerda, para garantir um palanque forte ao projeto nacional da eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"Reafirmamos portanto, que o PT irá apresentar uma pré-candidatura ao Governo do Estado, que será construída com diálogo e serenidade, sabendo da nossa responsabilidade em contribuir para o fim do retrocesso por qual passa o nosso País e também de apresentarmos novamente um projeto inovador, popular e democrático para o Mato Grosso do Sul."

A reportagem entrou em contato com o presidente da sigla, que revelou detalhes do pedido. "Fui informado pelo deputado federal Vander Loubet que o Zeca pediu para retirar o nome dele para cuidar das questões jurídicas e porque está com uma consultoria. Mas ele sinaliza que pode ser candidato a deputado. Vamos continuar conversando para ter um candidato neste ano", afirmou o Vladimir. 

Zeca chegou a atender a reportagem hoje e disse que não estava sabendo. "Então, me tiraram", revelou. Em seguida, disse que estava brincando e que não poderia falar por estar em uma reunião.

O ex-governador retornou e confirmou que tomou a decisão após muito tempo pensando. "Não posso continuar segurando o PT por conta da indefinição para a disputa do governo. Eu não tenho estrutura nenhuma. É caro uma campanha dessas. Tenho uma pendência judicial, sem prazo para sair. Uma verdadeira injustiça. É muito ruim para o PT, para mim e para nossa militância ficar nessa situação. Já tenho 72 anos, não posso entrar numa aventura e sair devendo, como vou pagar depois?". Ele afirmou que se até o prazo permitido for considerado elegível vai disputar na chapa proporcional.

PUBLICIDADE