PUBLICIDADE

Manifestantes aguardam votação de revogação de lei e mantêm fechamento da fronteira

Leonardo Cabral em 16 de Novembro de 2021

Diário Corumbaense

Fronteira segue fechada e protestos entram no nono dia

A fronteira entre a Bolívia e Corumbá completa nesta terça-feira, 16 de novembro, nove dias fechada. Os manifestantes seguem bloqueando a linha internacional, impedindo a passagem de veículos entre os dois países, mesmo após o anúncio do governo de revogação da Lei 1386 sobre a Estratégia contra a Legitimação de Lucros Ilícitos. Mas, a decisão precisa passar pela Câmara e Senado bolivianos.

“Vamos ver até o final do dia, pois a lei 1386, foi revogada pelos deputados e agora está no Senado para votação. Iremos aguardar e por isso a fronteira aqui seguirá fechada”, afirmou ao Diário Corumbaense o presidente do Comitê Cívico da Província Germán Busch, Marcelo Moreira.

Caminhões e montes de terra servem de “barreira”, para impedir o tráfego de veículos entre os dois países. Os manifestantes seguem “acampados” logo acima ao Controle Fronteirizo, do lado boliviano. Apenas é permitido cruzar a linha internacional a pé. Há filas de caminhões do lado da Bolívia, que aguardam para sair do país e outra, menor, no lado brasileiro.

Conforme o jornal El Deber, a lei foi revogada pelos deputados após mais de seis horas de discussão, onde foi travado um “caloroso” debate com a oposição. Para o MAS, partido do presidente Luis Arce, “a anulação desta norma (lei) é produto de desinformação e de uma segunda tentativa de golpe”, se referindo à queda de Evo Moreales em 2019.

Reprodução/El Deber

Na Câmara de Deputados, lei foi revogada e agora falta votação do Senado

O partido observa que há uma “agenda política clara para quem, manipulando a verdade, questionou a lei, uma agenda que visa apenas desestabilizar o governo democraticamente eleito pela maioria do povo boliviano”.

O deputado da Comunidade Cidadã (CC), Carlos Alarcón, destacou: “o que vocês estão fazendo é buscar deslegitimar um protesto cidadão de sindicatos, transportadores e setores sociais que exerceram seu direito de protesto, não foi uma tentativa de golpe, aceitem e não exijam que essa fundamentação seja alterada, seria uma traição às pessoas que foram mobilizadas ", disse.

A lei nº 1386, permite ao governo investigar o patrimônio de qualquer cidadão sem ordem judicial, o que levou a comissão multissetorial a convocar a greve nacional.

PUBLICIDADE