PUBLICIDADE

Notificações de dengue já colocam Corumbá em situação de média incidência de casos

Leonardo Cabral em 13 de Fevereiro de 2021

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Ações de combate a dengue seguem em Corumbá

No intervalo de uma semana, Corumbá teve um aumento de mais de 100 notificações suspeitas de dengue. Os dados são do boletim epidemiológico da semana 5, divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde. Foram mais 103 casos suspeitos da doença, totalizando 324 notificações este ano.

Porém, a Secretaria Municipal de Saúde, informou que até o dia 06 de fevereiro, a cidade já havia ultrapassado os dados contabilizados pelo Estado. Até então, foram 406 notificações na semana epidemiológica n° 5.

Ainda segundo a Saúde Municipal, o Centro é o bairro com mais casos suspeitos, com 44 notificações em 2021. Depois, os bairros com maior incidência são: Cristo Redentor com 43 notificações; Guatós e Popular Nova com 36 casos cada; Universitário registra 30; Maria Leite 24 suspeitos; Aeroporto, Dom Bosco e Jardim dos Estados com 20 suspeitos cada um.

Em relação aos positivos para a dengue, a cidade pantaneira soma 49 casos, segundo o boletim da SES, que classifica o município na bandeira amarela, com média incidência. Já a Saúde Municipal aponta 53 pessoas já infectadas. 

Com os números subindo, as ações de combate ao mosquito Aedes aegypti estão sendo intensificadas, inclusive, com o uso do "fumacê", após estudo técnico da Vigilância em Saúde Municipal e Estadual. Além da dengue, o Aedes aegypti transmite zika vírus e febre chikungunya.

Em 2020, Corumbá somou quatro mortes por dengue. Foram mais de 2 mil casos positivos e 4 mil notificações da doença. O município pantaneiro enfrentou uma epidemia, com pico nos primeiros meses do ano que passou, antes mesmo da pandemia da covid-19.

A Secretaria de Saúde pede atenção especial dos moradores e lembra que o mutirão de limpeza e o fumacê são medidas auxiliares. É a ação individual de cada cidadão, cuidando dos seus quintais, a forma mais efetiva de eliminar o mosquito, uma vez que a maioria dos criadouros está dentro das casas.

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

Manter bem tampados tonéis, caixas e barris de água;

Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

Manter caixas d’agua bem fechadas;

Remover galhos e folhas de calhas;

Não deixar água acumulada sobre a laje;

Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

Acondicionar pneus em locais cobertos;

Fazer sempre manutenção de piscinas;

Tampar ralos;

Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

Catar sacos plásticos e lixo do quintal.

PUBLICIDADE