PUBLICIDADE

Na bandeira vermelha, Corumbá já tem alta incidência de notificações de dengue

Leonardo Cabral em 19 de Fevereiro de 2021

Anderson Gallo/Arquivo Diário Corumbaense

A primeira morte por dengue em MS, neste ano, foi em Dourados

Corumbá está na bandeira vermelha, com alta incidência de casos de dengue neste segundo mês do ano. É o que informou o boletim epidemiológico, que corresponde à semana seis, da Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgado na quarta-feira, 17 de fevereiro. Ou seja, o Município pantaneiro aparece acima de 300 casos por 100 mil habitantes.

O boletim é divulgado semanalmente pela SES. Corumbá aparece com 371 casos suspeitos, 47 a mais de uma semana para a outra. Já em relação a casos positivos, o SES indica a cidade com 64 pessoas confirmadas com a doença, 15 a mais do que na semana cinco.

Já a Secretaria Municipal de Saúde informou que até o dia 13 de fevereiro, a cidade já havia ultrapassado os dados contabilizados pelo Estado. Foram 709 notificações suspeitas na semana epidemiológica de número seis, 56 deles confirmados por exame laboratorial.

Bairros com maior incidência

A Secretaria de Saúde de Corumbá, também informou que os bairros com maior incidência da dengue, doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, são a região do Centro, com 44 notificações e o bairro Cristo Redentor, com 43.  

Seguindo os dois primeiros, os bairros com maior incidência são: Guatós e Popular Nova que têm 36 notificações cada; Universitário com 30; Maria Leite com 24; e Aeroporto, Dom Bosco, Jardim dos Estados com 20 cada um.

Com os números subindo, o mutirão para combater a proliferação do mosquito, que também é responsável pela transmissão zika vírus e febre chikungunya, está sendo reforçado e começou ontem no Cristo Redentor e vai até este sábado (20).

O mutirão tem o objetivo de desenvolver ações educativas, eliminar pequenos e grandes depósitos de larvas, colocar telas em caixas d’água que estejam abertas e cal em fossas. Mas a ação individual dos moradores é a maneira mais eficaz de se combater o mosquito, já que os focos se concentram principalmente nos domicílios.

Nesta sexta-feira (19) o mutirão atenderá as ruas Paraná, Ladário, Oriental e Minas Gerais. No sábado, será a vez das ruas Antônio Maria, São Paulo, Tiradentes e Salgado Filho.

Primeira morte

O boletim epidemiológico estadual também confirmou a primeira morte por dengue em Mato Grosso do Sul. Trata-se de um idoso, de 66 anos, morador em Dourados. Ele morreu no dia 29 de janeiro.

Em 2020, quando Corumbá enfrentou uma epidemia de dengue, com quatro mortes, Mato Grosso do Sul bateu recorde nos óbitos se comparado aos últimos cinco anos. Foram 42 pessoas que perderam a batalha para a doença.

Sintomas e tratamento

Os sintomas da doença são: febre alta com início súbito (entre 39º a 40º C); forte dor de cabeça; dor atrás dos olhos, que piora com o movimento dos mesmos; manchas e erupções na pele, pelo corpo todo, normalmente com coceiras; extremo cansaço; moleza e dor no corpo; muitas dores nos ossos e articulações; náuseas e vômitos.

O Ministério da Saúde apenas recomenda o uso de paracetamol para o controle da febre e da dor na suspeita de dengue, nunca ultrapassando o limite de 3 gramas por dia. No entanto, o uso de qualquer medicamento só deve ser feito após indicação de um médico.

É importante manter-se hidratado e ficar em repouso para facilitar o combate ao vírus pelo organismo.

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

Manter bem tampados tonéis, caixas e barris de água;

Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

Manter caixas d’agua bem fechadas;

Remover galhos e folhas de calhas;

Não deixar água acumulada sobre a laje;

Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

Acondicionar pneus em locais cobertos;

Fazer sempre manutenção de piscinas;

Tampar ralos;

Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

Catar sacos plásticos e lixo do quintal.

Comentários:

Lorena maron : Aqui na alameda cosme e damiao bairro aeroporto tem um terreno baldio com muito lixo que os vizinhos jogo direto e mato alto.minha casa alagou por causa do lixo nele ,porque não tinha onde a água sair o n do lote é 20

PUBLICIDADE