PUBLICIDADE

Corumbá passa dos 112 mil habitantes e continua sendo 4ª cidade mais populosa de MS

Rosana Nunes em 27 de Agosto de 2020

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Corumbá teve acréscimo de 623 pessoas, subindo para 112.058 habitantes

Corumbá tem 112.058 habitantes. É o que mostra a estimativa populacional divulgada nesta quinta-feira, 27 de agosto, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pelo cálculo, a população cresceu 0,559% em relação ao ano passado. Entre um ano e outro, a população corumbaense cresceu 623 pessoas. Em 2019, o município registrava 111.435 moradores. Corumbá segue como a quarta cidade mais populosa de Mato Grosso do Sul, atrás apenas de Campo Grande (906.092 habitantes), Dourados (225.495) e Três Lagoas (123.281). 

Ladário passou de 23.331 habitantes no ano passado para 23.689 moradores, o que representou incremento de 358 moradores. Os dados estatísticos foram divulgados também nesta quinta, no Diário Oficial da União (DOU).  Mato Grosso do Sul tem 2.809.394 habitantes, segundo as estimativas do IBGE deste ano.

As populações dos municípios foram estimadas por procedimento matemático e são o resultado da distribuição das populações dos estados, projetadas por métodos demográficos, entre seus diversos municípios. O método baseia-se na projeção da população estadual e na tendência de crescimento dos municípios, delineada pelas populações municipais captadas nos dois últimos Censos Demográficos (2000 e 2010) e ajustadas. As estimativas municipais também incorporam alterações de limites territoriais municipais ocorridas após 2010.

Cálculo de indicadores

As estimativas populacionais são fundamentais para o cálculo de indicadores econômicos e sócio demográficos nos períodos intercensitários, e um dos parâmetros usados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) na distribuição das parcelas do Fundo de Participação de Estados e Municípios (FPM).

Está previsto em lei que até 20 dias após a publicação das estimativas, os interessados poderão apresentar reclamações fundamentadas ao IBGE, que decidirá conclusivamente. Em seguida, até 31 de outubro, o IBGE encaminhará as estimativas definitivas ao Tribunal de Contas da União.

As estimativas municipais foram elaboradas oficialmente pela primeira vez em 1975. Desde 1991 são realizadas anualmente. Em 2010, não foi realizada a estimativa, já que o IBGE trabalhava na coleta de dados para o Censo.

PUBLICIDADE