PUBLICIDADE

Corumbá e Ladário registram mais de 1,3 mil casos de dengue

Leonardo Cabral em 31 de Julho de 2020

Divulgação/ PMC

Dengue já fez quatro vítimas fatais em Corumbá

Como se não bastasse a luta travada contra o novo coronavírus e também os incêndios florestais, Corumbá e Ladário já ultrapassaram 1,3 mil casos de dengue. É o que revela o boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde, divulgado na quarta-feira, 29, e que corresponde à semana 30.

Do total de casos, Corumbá tem 1.055 e Ladário, soma 258 pessoas que contraíram a doença, transmitida pelo mosquito Aedes aegypti. Corumbá é a sexta cidade do Estado com mais casos. Campo Grande aparece na ponta, somando 11.151 casos positivos.

Já em relação aos casos suspeitos, Corumbá registra 3.903 notificações; em Ladário, 1.181 pessoas foram notificadas. Os números integram o total de 66.714 notificações em todo o Mato Grosso do Sul.

Mortes em Corumbá

Corumbá segue com quatro mortes em consequência a dengue. A primeira na cidade foi no dia 09 de janeiro. Lucian Andrade, de 29 anos, teve dengue hemorrágica. O segundo óbito foi o da jovem professora Dúnia Safa, de 24 anos, que não resistiu a complicações da doença.

A terceira morte foi de um homem de 42 anos, que não teve o nome informado. Ele veio a óbito no dia 19 de março e era morador da região de São Domingos, localizada na zona rural do município. Conforme a Secretaria de Saúde, ele foi notificado com a doença em Aquidauana, onde estava, quando começou a se sentir mal. No entanto, ao vir para casa, em Corumbá, após alta, passou mal novamente e procurou atendimento médico, sendo internado na Santa Casa de Corumbá, onde não resistiu e morreu. A identidade da quarta vítima fatal também não foi informada.

A última confirmada foi o de uma mulher de 56 anos, que foi a óbito no dia 20 de fevereiro, conforme divulgado no boletim epidemiológico da Secretaria Estadual de Saúde (SES) no mês de abril.

Mato Grosso do Sul tem 39 morte por dengue. As cidades que registraram os óbitos são: Campo Grande, Sete Quedas, Cassilândia, Pedro Gomes, Nova Andradina, Caarapó, Durados, São Gabriel do Oeste, Bodoquena, Chapadão do Sul, Aquidauana, Mundo Novo, Paranaíba, Sidrolândia, Itaquiraí, Itaporã, Laguna Carapã, Ivinhema, Naviraí, Costa Rica, Ponta Porã e Corumbá. 

Ladário não tem mortes por dengue, de acordo com o boletim estadual. 

Doença por faixa etária

O boletim ainda revela que os casos mais notificados são de pessoas que estão na faixa etária dos 20 aos 29 anos (19,67%). Logo atrás estão os de 30 aos 39 anos (17,85%). As mulheres representam a maioria dos casos notificados, num total de 55,9%, e os homens, 44,1%.

Corumbá está com alta incidência, ou seja, acima de 300 casos por 100 mil habitantes. Em 2013, foi o ano com mais casos notificados de dengue em MS, com 99.748.

Divulgação/ PMC

Só em Corumbá, são 1.055 casos positivos de dengue

A dengue não é transmitida de pessoa para pessoa. A transmissão ocorre através da picada do mosquito Aedes aegypti. Por isso, as autoridades em saúde reforçam a importância de a população tomar medidas que evitem a proliferação do mosquito transmissor.

A Secretaria de Saúde de Corumbá disponibiliza telefones para moradores também denunciarem locais, como terrenos baldios e imóveis abandonados, com possíveis focos. O anonimato é garantido. Os números são: 0800 647 2109 / 3233-2783.

As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são:

Manter bem tampados tonéis, caixas e barris de água;

Lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água;

Manter caixas d’agua bem fechadas;

Remover galhos e folhas de calhas;

Não deixar água acumulada sobre a laje;

Encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana;

Trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana;

Colocar lixos em sacos plásticos em lixeiras fechadas;

Fechar bem os sacos de lixo e não deixar ao alcance de animais;

Manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo;

Acondicionar pneus em locais cobertos;

Fazer sempre manutenção de piscinas;

Tampar ralos;

Colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento;

Não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas;

Vasos sanitários externos devem ser tampados e verificados semanalmente;

Limpar sempre a bandeja do ar condicionado;

Lonas para cobrir materiais de construção devem estar sempre bem esticadas para não acumular água;

Catar sacos plásticos e lixo do quintal.

PUBLICIDADE