PUBLICIDADE

Com arquibancadas lotadas, ensaio técnico anunciou “pré-espetáculo” das agremiações

Leonardo Cabral em 17 de Fevereiro de 2020

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Ensaio técnico levou um grande público para a avenida

As nove escolas de samba de Corumbá, filiadas à Liesco (Liga Independente das Escolas de Samba de Corumbá) apresentaram um pré-espetáculo durante o ensaio técnico, realizado na noite de domingo, 16 de fevereiro. O público, que lotou as arquibancadas espalhadas pela Avenida General Rondon e rua Frei Mariano, vibrou com a passagem das agremiações.

Os foliões viram parte daquilo que será mostrado nos dois dias de desfile oficial, nos dias 23 e 24 de fevereiro, próximo domingo e segunda-feira de carnaval.

O coordenador de desfile da Liesco, Victor Raphael, disse que essa é a hora para as agremiações acertarem detalhes finais para as apresentações e quem ganha com esse “olhar técnico” é o público.

“Temos aqui a oportunidade de testar o som, a pista, saber as medições, recuo de bateria, entrada e saída dos integrantes. O ensaio técnico é uma grande oportunidade para as escolas aproveitarem e já entenderem como vão montar a estratégia de desfile. Além disso, elas testam um item importante, a sonorização, pois aqui no percurso, temos a característica da curva sem som, nas imediações entre a rua Frei Mariano e Avenida General Rondon, onde de fato não pode por conta do 'delay'. Isso é um teste para as baterias na hora de atravessar essa curva”, explicou Victor Raphael.

Leonardo Cabral/Diário Corumbaense

Agremiações aproveitam para fazer todos os testes necessários

O prefeito Marcelo Iunes, que percorreu de ponta a ponta a passarela do samba, acompanhado da primeira-dama, Amanda Balanciere Iunes, resumiu o ensaio técnico como teste não só para as agremiações, como também para a própria estrutura.

“O ensaio acaba sendo um teste para a segurança, equipamentos, e o principal, a estrutura, como as arquibancadas e camarotes colocados à disposição da nossa população que veio e lotou nesta noite a passarela do samba. Carnaval é investimento que gera renda, emprego, onde muitas famílias conseguem tirar um bom proveito dessa grandiosa festa que Corumbá tem registrada como sua marca”, falou ao Diário Corumbaense o chefe do Executivo corumbaense.

A Unidos da Major Gama abriu o ensaio. “Temos um desafio grande aqui no percurso que são os paralelepípedos e depois entramos no asfalto. Hoje pudemos marcar a evolução que faremos e ver os erros que não podem ser cometidos no dia do desfile, sendo eles acertados depois na quadra durante os ensaios”, disse o mestre-sala da Major Gama, Carlinhos Joia.

Mestre de bateria da Mocidade Independente da Nova Corumbá, Marcigley Santana, falou que o ensaio técnico é de extrema importância. “Serve para a gente alinhar os detalhes precisos para o desfile. Esperamos fazer uma boa apresentação, para que no dia do desfile possamos estar 100%, levando um grande espetáculo ao público que aguarda sempre uma boa passagem da Nova Corumbá”, falou.

Concordando com o que o diretor de desfile da Liesco falou, o mestre de bateria da escola de samba A Pesada, Diego Rojas, disse que o momento é de estar atento naquilo que será feito no dia do desfile oficial.

“Cada ano temos um som que vem diferente e o ensaio técnico serve para avaliarmos a qualidade do som, onde está mais potente, onde não está, temos a curva entre a Frei Mariano e Avenida. Outro olhar que temos é dentro do recuo para ver o retorno do som. Com tudo isso, procuramos tirar proveito do ensaio, ver os erros para que eles possam ser acertados, inclusive as transversões. A bateria é primordial, sem bateria não tem desfile, se faltar não tem como a agremiação sair”, explicou Diego.

Leonardo Cabral/ Diário Corumbaense

Danyella trouxe toda a família para acompanhar o ensaio técnico

E quem ganha com toda essa preparação são os foliões que aguardam esse pré-espetáculo dado pelas escolas de samba. Reunida com a família, Danyella Ramos Gomes Farias, curtiu a noite intitulada por ela como um “esquenta” para as noites de folia em Corumbá.

“Vale a pena vir, vibrar e sambar com as escolas de samba. E para isso, trago toda a família. Sabemos que elas trabalham o ano todo para isso e, hoje, é o dia em que elas vêm para a Avenida, mostrando um pouco daquilo que poderemos acompanhar, nos colocando já no ritmo de Carnaval”, comentou Danyella.

Major Gama; Mocidade da Nova Corumbá; Vila Mamona; Acadêmicos do Pantanal; Marquês de Sapucaí; Imperatriz Corumbaense; A Pesada; Estação Primeira; Império do Morro, tiveram no máximo 35 minutos para entrar na passarela do samba. O percurso se iniciou da esquina da rua Frei Mariano com a Delamare, entrando na Avenida e seguindo até a rua Sete de Setembro.

PUBLICIDADE