PUBLICIDADE

Com foco na segurança da hidrovia, Marinha muda denominação de unidades militares

Leonardo Cabral em 05 de Fevereiro de 2020

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

A partir de agora, o SSN6 passa a ser Centro de Hidrografia do Oeste (CHN-6) e as cartas náuticas serão feitas em Ladário

Cerimônias realizadas nesta quarta-feira (05) no Comando do 6º Distrito Naval, sediado em Ladário, oficializaram a alteração da denominação do Grupamento de Fuzileiros Navais (GptFNLa) e do Serviço de Sinalização Náutica do Oeste (SSN6). Também foi inaugurada a Pista de Liderança. 

Participaram o comandante de Operações Navais da Marinha, almirante de Esquadra, Leonardo Puntel; o vice-almirante, Carlos Eduardo Horta Arentz, comandante do 6° DN; os prefeitos de Corumbá, Marcelo Iunes e de Ladário, Iranil de Lima Soares; a presidente da Soamar Ladário/ Terezinha Baruki, além de outras autoridades e convidados. 

O almirante Leonardo Puntel destacou os atos como importantes não só para a Marinha, por meio do 6° Distrito Naval, como também para a segurança na navegação e também no desenvolvimento da região.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Comandante de Operações Navais, almirante de Esquadra Leonardo Puntel, participou das cerimônias

“Agora com o Centro de Hidrografia do Oeste (CHN-6), as cartas náuticas, antes trabalhadas na sua batimetria e determinação de profundidades no Pantanal que eram enviadas ao Rio de Janeiro e processadas lá, e de lá viravam cartas náuticas, com o CHN aqui em Ladário, os dados serão processados aqui mesmo. Isso dá celeridade muito grande no processamento e segurança da navegação. Já em relação ao ex-grupamento de Fuzileiros Navais, tivemos a transformação para uma real missão de operações ribeirinhas, que é o foco principal do Batalhão, contribuindo principalmente com a soberania nacional nesta região importante para o país”, destacou Leonardo Puntel.

O comandante do 6° Distrito Naval, Carlos Eduardo Arentz, enfatizou que as alterações de denominações não são uma mera mudança de nomes, pois representa muito para a região no que diz respeito ao fomento da economia e na segurança da navegação, se referindo ao Batalhão de Fuzileiros Navais e ao CHN.

“Com o CHN do Oeste, passamos a ter uma capacidade para produzir as cartas náuticas, esse é o foco principal. A mudança dinâmica do nosso regime de água aqui no rio a cada cheia e vazante, exige que a atualização cartográfica seja feita com essa mesma velocidade. O 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas, representa o reconhecimento da vocação que ele já tinha na região pantaneira de atuação nas operações ribeirinhas, desde que chegou na década de 1930. Agora, com esse reconhecimento, atuará com mais efetividade como uma unidade integrada na nova configuração”, frisou o comandante do 6º Distrito Naval. 

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Grupamento de Fuzileiros Navais passa a ser chamado de 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas

A presidente da Soamar, Terezinha Baruki, parabenizou a Marinha do Brasil, pela conquista e também por contribuir  com a segurança da fronteira.

“É um reconhecimento da parte da Marinha na importância da nossa região, em questão de segurança, e também pelas riquezas dos recursos hídricos. Lembrando que o Batalhão de Operações Ribeirinhas só existia em dois lugares no Brasil, em Belém e em Manaus, agora com Ladário, passa a ser o terceiro. Com todos esses investimentos, ganha o 6° DN, Ladário e Corumbá e toda a região”, salientou.

“São alterações importantes, que valorizam a presença da Marinha na nossa região e mudam o patamar do 6º Distrito Naval dentro do cenário nacional”, afirmou o prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, lembrando que o 6º DN atua na defesa da fronteira com a Bolívia e o Paraguai, além de exercer um papel social fundamental na região pantaneira.

“A Marinha, assim como o Exército e a Aeronáutica, desempenham um serviço importantíssimo com toda comunidade corumbaense e ladarense, principalmente com as famílias residentes em regiões de difícil acesso do nosso Pantanal. Por isso a Prefeitura de Corumbá reitera sua parceria e seu agradecimento a esses parceiros”, completou Iunes.

Pista de Liderança

A Marinha também inaugurou a Pista de Liderança, que tem por objetivo testar a capacidade da arte de liderar dos militares do 3º Batalhão de Operações Ribeirinhas e das demais organizações militares subordinadas ao Comando do 6º DN.

A pista será disponibilizada, também, para instituições civis. “A Pista de Liderança também serve para empresas públicas e privadas, de maneira que se exercite o trabalho em equipe, sob liderança de uma pessoa. Com isso, vários problemas reais são simulados e testada a capacidade de liderança”, pontuou o almirante de Esquadra Leonardo Puntel.

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Pista de liderança será aberta a instituições públicas e privadas

PUBLICIDADE