PUBLICIDADE

Familiares preparam túmulos para o Dia de Finados; data também gera renda extra para muitas pessoas

Leonardo Cabral em 31 de Outubro de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Sabino e o irmão cuidam dos túmulos de familiares

Os cemitérios Santa Cruz e Nelson Chamma, em Corumbá, recebem os últimos preparativos para o Dia de Finados, neste sábado, 02 de novembro. Familiares preparam os túmulos dos entes queridos, para que no dia, tudo esteja pronto para receber amigos e parentes que rendem homenagens aos mortos.

No Cemitério Santa Cruz, o maior da cidade, localizado na rua Dom Aquino, o trabalho de preservação dos túmulos, mesmo com as temperaturas chegando a ultrapassar os 40°C no período da tarde, é grande. Alguns familiares preferem cuidar da arrumação, outros contratam serviços de pessoas que aproveitam este período para ganhar uma renda extra.

Sabino Soares Ortiz, de 60 anos, disse que toda semana faz questão de ir ao cemitério para deixar bem arrumados os túmulos das duas irmãs, do pai e de outro irmão. Porém, como o Dia de Finados está chegando, ele conta com a ajuda do irmão para fazer o serviço.

“Estou aqui toda semana. Arrumo, planto, molho as plantas. Vejo se está tudo bem. Mas como é Finados, eu e meu irmão preparamos os túmulos das nossas irmãs, do meu pai e do outro irmão que já se foram. O que resta é a saudade e essa é a forma de estarmos sempre lembrando deles. Cuidando do lugar onde eles repousam como merecem”, disse um pouco emocionado Sabino ao Diário Corumbaense.  

Já para Renato Santiago Aquino, que está desempregado, o período é encarado como forma de ter uma renda temporária. Ele diz que com os trabalhos no cemitério, apesar de um pouco fraco, consegue tirar em média ao dia em torno de R$ 200,00. “Se estou desempregado venho nessa época do ano para trabalhar aqui. Às vezes, muitas pessoas não têm o tempo para fazer esses ajustes, daí estou aqui para atendê-las. O que pedir, estamos prontos para fazer. É uma ajuda extra que entra no mês. O que atrapalha é o sol forte, mas não tenho que reclamar, é esse serviço que me ajuda muito”, falou Renato ao ressaltar que os preços variam de acordo com o tamanho do túmulo e da capela.  

No momento da entrevista, Renato foi contratado por uma família, para fazer reparos em um túmulo. Após conversa, o valor foi acertado e o trabalho será entregue nesta quinta-feira (31).

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Professora Isabel contratou os serviços de Renato para cuidar do túmulo do filho

O túmulo é do filho da professora Isabel Almeida. Ela contou que todos os anos contrata o trabalho, pois para ela, é de confiança. “Todos os anos venho antes do Dia de Finados, para fazer os ajustes, afinal de contas ali está meu filho. A saudade é eterna, todos os dias, mas o Dia de Finados, é uma data especial. Confio no trabalho que é bem feito e fica tudo pronto para parentes e amigos comparecerem para as homenagens”, declarou Isabel.

Outro que aproveita a data para ganhar um extra para a família é  Edevaldo Rosa Santiago. Ele falou que trabalhou no cemitério pelo tempo de seis anos, contratado pela Prefeitura. Depois desse período,  conquistou fregueses e, desde então, aproveita o Dia de Finados, para faturar.

“Trabalhei aqui e depois que saí, comecei a fazer os bicos. O cliente pede e a gente faz. Fico à disposição o ano todo, mas nessa época do ano, dá para tirar uma renda um pouco maior e ajudar nas despesas de casa”, falou Edevaldo.

Horários e missas

No cemitério Santa Cruz existem 4.476 túmulos. Já no Nelson Chamma são 3.000 túmulos. O horário de abertura dos cemitérios será das 05h às 19h, no sábado, 02 de novembro.

Também serão celebradas missas. No Santa Cruz, as celebrações serão às 06h, 08h, 10h e 16h. A missa das 10h será celebrada pelo bispo João Aparecido Bergamasco.

No Nelson Chamma, as celebrações serão às 09 e 16h. Já em Ladário, acontece missa às 07h, no cemitério municipal. 

PUBLICIDADE