PUBLICIDADE

Ladário: Justiça Eleitoral defere candidaturas de José Antonio e Munir

Rosana Nunes em 21 de Outubro de 2020

A Justiça Eleitoral já está analisando os pedidos de registro de candidaturas a prefeito e vice-prefeito de Ladário, cidade vizinha a Corumbá. São sete candidatos, dois deles, já foram julgados.

O ex-prefeito José Antonio Assad (PSDB), da coligação "Ladário Feliz de Novo", teve o registro deferido. O Ministério Público Eleitoral havia pedido a impugnação da candidatura por causa da rejeição das contas de José Antonio em 2009 pela Câmara Municipal, embora o Tribunal de Contas tenha sido favorável à aprovação em segunda votação. No entanto, o ex-prefeito conseguiu liminar judicial, suspendendo os efeitos do ato da Câmara, que o deixaria inelegível, e o juiz da 50ª Zona Eleitoral, Marcelo da Silva Cassavara julgou improcedente o pedido do MPE. O vice de José Antonio, Emerson Valle, o Neninho, também teve o registro deferido.

Outro que teve a candidatura aprovada, mas com recurso, é Munir Sadeq Ramunieh (MDB), da coligação "Renovação e Mudança por Ladário". O Ministério Público Eleitoral também pediu a impugnação do registro porque em 2012, Munir foi condenado a oito anos de inelegibilidade em processo de campanha eleitoral antecipada. Políticos nesta situação estariam inelegíveis para a data original do pleito, no primeiro domingo de outubro deste ano (04), mas foram beneficiados pelo adiamento da data em razão da pandemia do coronavírus (15 de novembro). O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) entendeu que o fim desse prazo não pode ser flexibilizado. O MPE ainda questionou contratos empresariais de Munir, que estariam vigorando, com a Prefeitura de Ladário. O candidato recorreu e os registros dele e do vice, Juliano Silva de Oliveira, foram deferidos com recurso. 

Até às 14h45 de hoje ainda faltavam ser julgados os pedidos de registros de Andréa Sampaio (Cidadania); Cristiane de Oliveira (PSL); Helder Botelho (Avante); do atual prefeito Iranil Soares (DEM), da coligação "Ladário não pode parar" e de Raquel do Prado (PT).

PUBLICIDADE