PUBLICIDADE

Além de comoção, ataque a menina gera boatos e ganância em Campo Grande

Fonte: Campo Grande News em 14 de Dezembro de 2019

Paulo Francis/CG News

Elenilda, mãe de Eloá, estava com os três filhos quando a filha foi atacada repentinamente

Na mesma proporção que o ataque contra Eloá Aquino Carvalho, de 3 anos, causou comoção em Campo Grande, também suscitou a ganância e a rede de boatos que está causando transtorno à família da menina. 

A agressão aconteceu na última quarta-feira (12), na rua Baobá, Moreninha III, quando a mãe de Eloá, Elenilda Carvalho Moreira, 31 anos, estava em ponto de ônibus acompanhada dos três filhos, de 2 meses, 3 anos e 5 anos.

A criança estava no carrinho e foi retirada por Cecílio Martins Centurião Junior, 34 anos, e arremessada ao chão duas vezes. A mãe, atônita, recebeu ajuda de populares e ele foi detido.

A advogada Mariana Canossa, que representa Elenilda, disse que recebeu em um grupo de WhatsApp um áudio em que a pessoa diz que Eloá morreu há 3 dias e será enterrada como indigente e, por isso, está fazendo campanha para arrecadar recursos.

Outra mensagem diz que familiares de Centurião tiveram que se esconder, com medo de represálias por parte da família da menina. “Isso não existe, isso tomou proporção enorme, que só traz dor à família”, disse a advogada.

Eloá permanece internada no CTI (Centro de Tratamento Intensivo) Pediátrico da Santa Casa. A equipe de intensivistas abriu protocolo de morte encefálica para atestar a atividade cerebral. Segundo a advogada, a menina sofreu uma parada cardiorrespiratória e o procedimento teve que ser suspenso para estabilizá-la.

Cecílio sofre de esquizofrenia e foi interditado judicialmente em 2012, ou seja, declarada civilmente incapaz. A prisão em flagrante foi convertida em preventiva e ele foi levado para uma ala psiquiátrica do Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho.

PUBLICIDADE