PUBLICIDADE

Com fim de investigação, Justiça decidirá se Cecílio pode ser indiciado ou não pela morte de Eloá

Fonte: Campo Grande News em 16 de Dezembro de 2019

Cinco dias após o ataque que matou a menina Eloá Aquino Carvalho, de 3 anos, em Campo Grande, a titular da Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), a delegada Marília de Brito, encerra nesta segunda-feira (16) o inquérito do caso.

Cecílio Martins Centurião Júnior, de 34 anos, que retirou a criança do carrinho de bebê, levantou e arremessou no chão, será indiciado por homicídio doloso qualificado. O autor do ataque foi diagnosticado com esquizofrenia e interditado judicialmente há 7 anos.

“No inquérito do homicídio a investigação juntou detalhes da vida dele, como o processo de interdição, o fato de ele morar sozinho e o interrogatório da mãe”, detalhou. Por ele ser interditado, a delegada afirmou que a Justiça é quem vai decidir de se ele é imputável ou não. “Toda essa analise será decidida na esfera judicial”, completou.

No interrogatório, a mãe de Cecílio relatou à delegada que o filho tomava medicamento controlado, morava sozinho e era agressivo. Em 2010, ele chegou a ficar internado no setor de psiquiatria da Santa Casa por “grave problema mental”. Em um dos atestados, os médicos já apontavam para “isolamento social” e “prejuízo cognitivo”.

Cecílio foi preso na manhã da última quarta-feira (11). A prisão em flagrante foi convertida em preventiva e o homem está uma ala psiquiátrica do Presídio de Segurança Máxima Jair Ferreira de Carvalho.

Morte encefálica

Após ficar internada na Santa Casa por quatro dias, o Hospital atestou a morte encefálica de Eloá na madrugada de sexta-feira (13). A mãe autorizou a doação das córneas e rins e a captação de órgãos foi feita na manhã de sábado. As duas córneas serão transplantadas em paciente de Campo Grande e os rins serão levados para São Paulo.

PUBLICIDADE