PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

PF e CGU apuram crimes licitatórios e de corrupção na Secretaria de Infraestrutura de Corumbá

Rosana Nunes e Leonardo Cabral em 03 de Julho de 2024

Divulgação/Polícia Federal

Policiais federais e servidores da CGU foram logo cedo para a Prefeitura

A Polícia Federal, em ação conjunta com a Controladoria-Geral da União, deflagrou nesta quarta-feira, 03 de julho, a Operação João Romão, que investiga crimes licitatórios e de corrupção que estariam sendo praticados na Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos da Prefeitura Corumbá.

Cinquenta e dois policiais federais e sete servidores da CGU foram mobilizados para o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal em Corumbá e Campo Grande.

Divulgação/Polícia Federal

Equipe da operação na Secretaria de Infraestrutura

Por meio de nota, a PF informou que a investigação, que se iniciou em 2021, revelou que o atual secretário municipal, Ricardo Ametlla, teria criado uma empresa que acabou vencendo diversos procedimentos licitatórios da pasta sob sua reponsabilidade. Os valores dessas obras ultrapassam R$ 12 milhões. 

Ainda durante as investigações, a PF apurou indícios de irregularidades que teriam permitido a empresa suspeita ter capacidade financeira e técnica para participar dos certames licitatórios que venceu.

Além de Ametlla, foram alvos da operação, servidores comissionados e efetivos envolvidos nas autorizações e fiscalizações das obras executadas, além de pessoas responsáveis pelas empresas, informa nota da Polícia Federal.

Divulgação/PF

Dinheiro apreendido nas casas de alvos da investigação

O Diário Corumbaense apurou que foram apreendidos documentos e mídias digitais que serão periciados; a quantia de R$ 100 mil (R$ 60 mil em Corumbá e R$ 40 mil em Campo Grande) na casa de dois alvos da investigação, além de três veículos. 

O nome da operação, João Romão, é um personagem da obra O Cortiço, de Aluísio de Azevedo. João é taverneiro português, dono da pedreira e do cortiço e representa o capitalista explorador. 

Prefeitura

Procurada pela reportagem, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Corumbá destacou que foram cumpridos mandados de busca e apreensão na Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos e na residência de servidores da pasta. 

"No Paço Municipal, a ação policial foi acompanhada pela Procuradoria Geral do Município, que não teve acesso aos autos porque o processo corre em segredo de justiça. O expediente na Prefeitura segue normalmente nesta quarta-feira", e encerra a nota: "A Prefeitura de Corumbá reitera seu compromisso com a lisura, transparência e o respeito com o erário. O Executivo municipal segue à disposição das autoridades competentes para prestar qualquer esclarecimento."

(matéria editada para acréscimo da nota da Prefeitura) 

Receba as principais notícias de Corumbá, Ladário e MS pelo WhatsApp do Diário Corumbaense. Clique aqui para entrar em um de nossos grupos.