PUBLICIDADE

Governador determina afastamento imediato de PMs envolvidos em espancamento

Campo Grande News em 23 de Novembro de 2020

Reprodução/Vídeo

Em vídeo, 2º tenente bate em mulher algemada

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) determinou o afastamento imediato de 2 policiais militares envolvidos diretamente no espancamento de uma empresária de 44 anos, em 26 de setembro, dentro de quartel em Bonito.

Segundo nota enviada pela assessoria do governo do Estado, "para o governador, ainda que tenha havido ocorrência de desacato e agressões aos policiais, são inadmissíveis a violência extrema e a conduta empregada na ação policial nestes casos, que já estão sob rigorosa investigação, em Inquérito Policial Militar".

Imagens do circuito de segurança do quartel da PM em Bonito mostram, pelo menos, 4 policiais militares na cena do espancamento. Mas apenas dois militares serão afastados enquanto durarem as investigações.

O 2º tenente André Luiz Leonel, na época comandante do Batalhão de Bodoquena e subordinado a Bonito, dá socos, tapas e chutes na mulher já algemada, enquanto outro a segura na cadeira. Um terceiro policial aparece atendendo outra pessoa, mas também não se manifesta contra as agressões.

Apenas quando a 4ª PM, uma mulher aparece e segura André, é que as agressões acabam. Apesar de o caso ter ocorrido há quase 2 meses, segundo a PM, nenhum dos presentes na hora do espancamento denunciou o colega à Instituição. 

O caso

Tudo começou por conta de um pedido em restaurante de Bonito, que atrasou. Mãe de criança autista, a vítima diz que reclamou da demora, admite que perdeu o controle, mas conta que foi tirada pelos cabelos do hotel onde estava hospedada, durante a comemoração do aniversário.

Já a proprietária do restaurante alega que a mulher ameaçou pessoas, quebrou garrafas e disse que colocaria fogo no prédio.

A Polícia Militar justificou a ação em nota, dizendo que "teve origem após uma equipe policial militar ser acionada para contê-la, em um restaurante daquele município, após a mesma, supostamente, ter ameaçado atear fogo no local, ameaçado de morte os proprietários e quebrado garrafas dentro do estabelecimento comercial".  Mas informou que André havia sido afastado apenas do comando do Batalhão.

OAB e Defensoria Pública exigiram ontem o afastamento imediato dos PMs das ruas.

Foi a segunda ação truculenta envolvendo André. Durante a última campanha eleitoral, vídeo também mostra ele pisando na cabeça de um homem já imobilizado em Bonito. 

PUBLICIDADE