PUBLICIDADE

Mais de 5,5 mil pessoas foram abordadas em Corumbá em um mês do toque de recolher

Leonardo Cabral em 27 de Abril de 2020

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Abordados são orientados a retornar para casa durante o toque de recolher

Após completar pouco mais de um mês do toque de recolher em Corumbá, nesta quinta semana, seguindo determinação municipal de combate ao novo coronavírus, por meio de decreto, a equipe da Coordenadoria de Fiscalização de Posturas, que atua com apoio de guardas municipais, agentes de trânsito e fiscais sanitários, realizaram 223 abordagens. Ao todo, 847 pessoas foram paradas nas ruas da cidade. Elas receberam informações sobre as condições especiais previstas em decreto municipal, sendo orientadas a retornar para casa. 

Já em relação ao comércio, 89 estabelecimentos foram flagrados descumprindo as determinações, nesta quinta semana, ou seja, estavam funcionando fora do horário determinado. Desse total, 04 foram notificados pelas equipes fiscalizadoras, que também realizaram a abordagem de cinco estrangeiros, sendo 04 venezuelanos e 01 colombiano.

Esses cidadãos estrangeiros, uma vez abordados, devido ao toque de recolher, são orientados a retornar aos seus países de origem ou procurar os órgãos competentes para regularizarem suas situações, especialmente no período noturno, onde são orientados a procurar imediatamente hotel ou albergue para permanecerem no período entre 21h e 05h, quando termina o toque de recolher.

Um mês das ações

Com um mês do toque de recolher, que teve início no dia 22 de março, 5.783 pessoas foram abordadas, com 02 encaminhamentos à Delegacia de Polícia, sendo de um funcionário de conveniência e um estudante repatriado da Bolívia, que desobedeceu ordem de isolamento social.

Nestes pouco mais de um mês de ações, houve 693 fiscalizações em estabelecimentos comerciais, sendo 22 notificações no comércio e em empresas, como as de viagem, que insistiam em fazer o transporte de passageiros.

Três estabelecimentos comerciais tiveram que interromper o atendimento ao público, por estarem desrespeitando as medidas preventivas e só reabriram depois de cumprirem com a recomendação dada pela equipe. Um apenas, perdeu o alvará de funcionamento.

O coordenador de Fiscalização de Posturas, Luciano Cruz Souza, disse que avalia como positivo o primeiro mês de trabalho.

“Ao sairmos no período noturno entre as 21h e 05h, é possível perceber que o fluxo de pessoas e veículos diminuiu, porém, todos os dias temos que manter as ações. O isolamento social é a conduta primária para combater o coronavírus”, ressaltou Luciano frisando que as situações que mais dificultam são aquelas relacionadas com a aberturas de bares na cidade devido ao movimento dos clientes.  

No entanto, o relatório traz que os horários ampliados das atividades comerciais e do toque de recolher favoreceram o cumprimento das normativas e por tal fato houve diminuição no número de pessoas e estabelecimentos abordados. “Contudo, foram observadas práticas esportivas coletivas em praças públicas. A utilização das praças e atividades com aglomeração estão no rol de impedimentos momentâneos para minimizar as possibilidades de contágio da covid-19. Ressalta-se, que a orientação continua sendo a manutenção do isolamento social”, disse Luciano ao Diário Corumbaense.

Determinações adotadas pelo Município

O toque de recolher fica mantido enquanto o risco de contágio da covid-19 persistir, das 21h às 05h. O horário de funcionamento do comércio de bens em geral e prestação de serviços é das das 08h até às 17h, exceto farmácias, supermercados, clínicas médicas, postos de combustíveis, exclusivamente para abastecimento de veículos, os quais poderão funcionar até às 20h30, bem como as farmácias que estejam em regime de plantão, às quais poderão funcionar, inclusive, durante o toque de recolher.

O decreto ainda determina que restaurantes e o comércio de lanches em geral ficam autorizados a funcionar até 20h30, desde que funcionem com capacidade reduzida, limitada a 30% do total de clientes suportados pelo estabelecimento; disponibilizem informações visíveis sobre higienização de mãos; álcool gel 70º INPM na entrada do estabelecimento para uso dos clientes; observem na organização de suas mesas a distância mínima de um metro e meio entre elas; aumentem  frequência de higienização de superfícies; mantenham ventilados ambientes de uso dos clientes; disponibilizem sabonete líquido e papel toalha descartável nos lavatórios para higienização das mãos. 

Já as panificadoras, padarias e confeitarias estão autorizadas a funcionar a partir das 06h até às 20h. Os açougues e pequenos estabelecimentos comerciais que se dediquem ao comércio de gêneros alimentícios e de primeira necessidade, podem funcionar das 08h às 20h30, desde que, após 17h, a venda seja realizada de forma individualizada por sistema de gradil, sem aglomeração de pessoas. 

As lojas de conveniências, após 17h e até às 20h30, poderão realizar atendimento individualizado (com grade de proteção), inclusive para venda de bebidas em geral, entretanto, fica vedado o consumo no local e aglomeração de pessoas. O mesmo vale para o comércio de vendas de sorvete, açaí e similares.

Corumbá tem hoje quatro casos confirmados de coronavírus. Em três deles, as pessoas contraíram a doença em outras cidades, mas como moram aqui, a notificação ficou para o município pantaneiro. 

PUBLICIDADE