PUBLICIDADE

Fiscais de Cassilândia gravam ameaça de "cacete" a moradores se não cumprirem regras de circulação

Campo Grande News em 09 de Abril de 2020

Reprodução do vídeo

Servidora aparece com pedaço de pau na mão, ao lado do colega que faz ameaça de mandar dar "cacete" em quem não colaborar

A pandemia do novo coronavírus está provocando situações inéditas mundo afora. Em Mato Grosso do Sul, no município de Cassilândia, a 418 quilômetros de Campo Grande, além do esforço para que o vírus não chegue à cidade, a Prefeitura agora lida com situação inusitada: teve de tirar momentaneamente da fiscalização dois funcionários antigos da Vigilância Sanitária para que expliquem vídeo produzido no prédio público, no qual ameaçam a população de “cacete”, caso  as regras de restrição à circulação de pessoas não sejam obedecidas. O material veio a público na quarta-feira (08)

Na gravação, de 63 segundos, os fiscais Luciney Correa da Silva e Francisco Uildo da Silva aparecem próximos a uma mesa, onde se vê um vidro de álcool gel. A mulher, que é médica veterinária, segura um cabo de vassoura. Francisco, cuja formação não foi identificada pela reportagem, é quem fala.

Introduzido por som de sirene, cita a preocupação com a saúde pública, comenta estar “trabalhando dia e noite” e depois vem a ameaça, “se o povo não ajudar”.

“Eu tenho pessoas do meu lado, que é da minha inteira confiança, se eu ver que não vai ter respaldo, vai descer o cacete”, declara. “Vamos trabalhando, lavando as ruas, desinfetando, as ruas públicas e estabelecimentos para que isso não aconteça, uma proliferação grande em nosso município”, encerra. 

PUBLICIDADE