PUBLICIDADE

Julgamento de Pedro Montenegro pode ocorrer em até seis meses, diz advogado de defesa

Leonardo Cabral em 02 de Dezembro de 2019

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Montenegro foi extraditado da Bolívia para Corumbá na última sexta-feira

Seis meses. Esse é o tempo que o advogado Ariel Góngora acredita que a Justiça do Brasil irá levar para definir o julgamento do traficante boliviano, Pedro Montenegro, que foi extraditado para o país, na última sexta-feira, 29 de novembro.

Montenegro veio escoltado em um helicóptero da Polícia Boliviana, pousando no Aeroporto Internacional de Corumbá e entregue em seguida para agentes da Polícia Federal. Policiais da Força Tática da Polícia Militar também estiveram no Aeroporto dando apoio à operação.

"Como já existem pessoas com sentença nesse processo, há um avanço na investigação. Entre três a seis meses a sentença do meu cliente, caso seja condenado de fato, poderá ser divulgada”, disse Góngora, ao indicar que o seu cliente pode pegar de 5 e 15 anos de prisão, já que as outras pessoas relacionadas ao processo já cumprem sentença entre 10 e 25 anos.

“Essas pessoas que foram sentenciadas foram presas em flagrante durante a operação. Elas foram detidas com drogas e dinheiro. Com relação à possível penalidade do Montenegro, não conhecemos a maior prova que o Brasil tem contra o meu cliente, que prova o incrimina”, acrescentou.

No entanto, Gongora disse que continua no caso, mas conta com a ajuda de outro advogado que está em São Paulo, que repassará todas as informações necessárias sobre os processos.

No Brasil

Pedro Montenegro era procurado por tráfico de cocaína e tinha mandado de prisão internacional do Supremo Tribunal Federal para fins de extradição desde julho de 2015.

Pedro Montenegro está ligado a uma rede que em 2013 foi descoberta em São Paulo na operação "Monte Pollino", que foi deflagrada depois que policiais apreenderam carregamento de 1,3 tonelada de cocaína enviada a um país europeu, avaliada em mais de 60 milhões de dólares, conforme aponta documentos judiciais que o jornal El Deber teve acesso.

Considerado o narcotraficante mais procurado na Bolívia, Pedro Montenegro se entregou à Polícia em maio deste ano, depois de várias operações realizadas em Santa Cruz para prendê-lo. Com informações do jornal El Deber.

PUBLICIDADE