PUBLICIDADE

Ex-mulher de PM que matou colega policial pede proteção à Justiça

Campo Grande News em 25 de Outubro de 2019

Reprodução/Facebook

Soldado da PM, Izaque Leon Neves, de 33 anos, matou a tiros o também policial militar Jurandir Miranda

A ex-mulher do soldado da Polícia Militar Izaque Leon Neves, de 33 anos, acusado de matar a tiros o também policial Jurandir Miranda, 47 anos, na noite de ontem em Aquidauana, pediu medidas protetivas contra ele e disse estar se sentindo ameaçada.

As informações são do delegado responsável pelo caso, Jackson Frederico Vale. À reportagem, Vale informou que a jovem de 26 anos prestou depoimento pouco depois do crime. Ela comentou que estava separada de Leon há dois anos, mas ele não aceitava o fim do relacionamento. Os dois ficaram juntos por 10 anos e têm dois filhos.

Ainda de acordo com ele, a mulher decidiu comparecer até a delegacia por sentir medo. "Ela informou que foi ameaçada recentemente por Izaque e pediu medidas protetivas de urgência", comentou. Ainda conforme o delegado, o suspeito disse que mataria a mulher caso ela continuasse se relacionando com Jurandir.

Não há informações exatas se Jurandir e a ex-mulher de Izaque estavam juntos ou se trata de um relacionamento casual. Mas é possível afirmar que a rixa entre os dois policiais por este motivo não é recente.

Os dois homens até responderam procedimentos militares por ameaças trocadas. Vale informou que a jovem nunca registrou boletim de ocorrência contra o marido durante o tempo em que estiveram juntos e comentou apenas ter sofrido esta ameaça recente.

O delegado pediu prisão preventiva do soldado pela morte de Jurandir e, até o momento, ele é considerado foragido. 

O policial militar ambiental Jurandir Miranda foi morto com cerca de 6 tiros, na noite desta quinta-feira (24) em um bar de Aquidauana, cidade a 135 quilômetros de Campo Grande. 

PUBLICIDADE