PUBLICIDADE

Médico acusado de cobrar por cirurgia pelo SUS é afastado da rede municipal de saúde

G1 MS/TV Morena em 18 de Julho de 2019

Reprodução/TV Morena

Conversa com médico foi gravada por casal

médico Ricardo Chauvet, denunciado por cobrar por cirurgia pelo SUS, está afastado da rede municipal de saúde de Corumbá, município que fica a 412 quilômetros de Campo Grande.

De acordo com a prefeitura de Corumbá, o obstetra, que é servidor público municipal, pediu afastamento no final da semana passada, a solicitação foi aceita e desde segunda-feira (15) ele não atende mais no Centro de Saúde da Mulher.

 

Os pacientes dele foram remanejados para outros médicos. A prefeitura informou ainda que foi instaurado procedimento disciplinar na Corregedoria do município, o qual tramita em sigilo. Este é o segundo processo administrativo que o médico responde: o primeiro tramita desde 2015.

 

Denúncia

 

Uma jovem de 26 anos foi quem denunciou o médico à polícia, ao Ministério Público e à Santa Casa de Corumbá, onde teria ocorrido o pedido de R$ 1 mil para cirurgia pelo SUS e também o abuso sexual. Ela e o marido afirmaram ter gravado a conversa com o obstetra. O casal não fez o pagamento. O profissional diz que não houve ilegalidade e que aguarda as citações jurídicas.

 

De acordo o boletim de ocorrência, registrado como corrupção passiva, a paciente deu entrada na maternidade da Santa Casa de Corumbá no dia 23 de abril, dizendo estar com dores e sangramento no útero. Lá, o médico, depois de dizer que ela estava com "frescura", afirmou que seria preciso uma operação para retirada de um pólipo e que cobraria pelo procedimento.

 

Na gravação, a voz atribuída ao médico diz: "Eu não faço pelo SUS, tá? Por motivo simples. O SUS paga R$ 24 pra fazer isso. Eu não vou botar a mão no útero de mulher desse tamanho com cinco cesáreas anteriores por R$ 24". O interlocutor altera a voz quando fala sobre a característica física da paciente.

 

Após a conversa com o médico, a jovem fugiu do hospital. Depois que o caso se tornou público, ela voltou a receber atendimento, mas por outro profissional.

Sobre o abuso, denunciado ao Ministério Público, a jovem contou. "Me senti muito humilhada, um lixo", fala a paciente que prefere não se identificar. O abuso teria acontecido na maternidade de Corumbá durante uma consulta. 

A paciente também registrou, na noite da última terça-feira (16), um novo boletim de ocorrência, porque um carro teria perseguido ela e o marido.

PUBLICIDADE