Menu

Fale Conosco Expediente

Corumbá, MS
24 de Agosto de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Em moção, Assembleia destaca tombamento da Igreja Matriz em Corumbá

Da Redação em 07 de Março de 2017

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Igreja está sendo reformada; obras devem ser concluídas até o final do ano

O tombamento da Matriz de Nossa Senhora da Candelária como patrimônio histórico e cultural de Corumbá foi elogiada pela AssemblEia Legislativa de Mato Grosso do Sul. A Moção de Congratulação foi proposta pelo deputado Paulo Siufi e aprovada pelo plenário na sessão ordinária do dia 14 de fevereiro.

“A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, Casa de Leis e Cidadania, por proposição do deputado Paulo Siufi, em nome de seus pares e do povo sul-mato-grossense, vem à vossa honrosa presença parabenizá-lo por ter declarado como Patrimônio Histórico e Cultural do Município de Corumbá, a Catedral de Nossa Senhora da Candelária, devido ao valor histórico que a mesma possuiu na cidade e no Estado, sendo construída no ano de 1885 e considerada o templo católico mais antigo de Mato Grosso do Sul. Parabéns”, destacou a Moção.

O tombamento da igreja aconteceu no dia 02 de fevereiro, Dia da Padroeira de Corumbá, quando o prefeito Ruiter Cunha de Oliveira  assinou o decreto nº 1.748. A declaração levou em consideração a proteção do patrimônio histórico e cultural que zela pela preservação das características arquitetônicas; a importância da proteção dos valores históricos e culturais para afirmação da identidade de um povo; o valor histórico da catedral no contexto da cidade; por ser o templo mais antigo do Estado de Mato Grosso do Sul; por ser padroeira da Diocese de Santa Cruz de Corumbá; e titular da Igreja Catedral.

“Muito mais do que reconhecer o conjunto arquitetônico que é belo e precisa ser preservado, reconhecemos um patrimônio que faz parte da nossa tradição, história e cultura e que significa muito para o povo de Corumbá. Nossos profundos agradecimentos a Nossa Senhora pelas bênçãos, proteções e luz”, enfatizou Ruiter na época.“É esse simbolismo que a gente quer expressar neste ato. Esse decreto, a partir de agora, fortalece ainda mais a preservação, reforma e manutenção do nosso templo. A população de Corumbá abraçou esta causa”, acrescentou o prefeito.

Interditada desde junho do ano passado, a igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária, construída por Frei Mariano de Bagnaia no século 19, passa por reforma e deve voltar a receber missas em dezembro deste ano. Com informações da assessoria de comunicação da PMC.

 

Ações e Compartilhamento
Entre em contato com o autor
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE