Menu

Fale Conosco Expediente Buscar

Corumbá, MS
18 de Dezembro de 2017
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
 

Igreja Matriz agora é patrimônio histórico e cultural de Corumbá

Da Redação em 02 de Fevereiro de 2017

Construída por Frei Mariano de Bagnaia no século 19, a igreja Matriz de Nossa Senhora da Candelária tornou-se nesta quinta-feira, 02 de fevereiro, patrimônio histórico e cultural do município de Corumbá. O decreto – de número 1.748 – foi assinado pelo prefeito Ruiter Cunha de Oliveira ao término da missa solene pela Cidade, que teve a participação de autoridades civis e militares e foi celebrada no pátio da Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA).

Fotos: Ricardo Albertoni/ Diário Corumbaense

Prefeito assinou decreto ao término da missa celebrada na Casa de Cultura Luiz de Albuquerque (ILA)

A declaração, para fins de tombamento, levou em consideração – além das características arquitetônicas da igreja – a proteção do patrimônio histórico cultural local; o valor histórico da Catedral para a cidade; o fato de ter sido construída em 1885 e ser o templo católico mais antigo de Mato Grosso do Sul e ainda o fato de Nossa Senhora da Candelária ser padroeira de Corumbá e da Diocese.

Ao Diário Corumbaense o prefeito destacou que o decreto – assinado exatamente no dia em que se celebra o dia da padroeira de Corumbá – permite a valorização de todo o complexo arquitetônico ali existente e exalta a cultura e história da cidade.

“É justo reconhecermos esse conjunto arquitetônico que faz parte da nossa história, da nossa tradição e cultura, que já foi o berço da Diocese do Mato Grosso integrado. Ao editarmos esse decreto, o Município valoriza e reconhece essa importância e, acima de tudo, está agregando valor ainda maior a um conjunto arquitetônico de muita relevância. Esse espaço está inserido no PAC Cidades Históricas para preservação. Temos aqui a antiga unidade da Casa Mista, do Instituto Luiz de Albuquerque (ILA) e a sede da Polícia Federal  que já foi adquirida pelo Município [falta a instituição construir a nova sede]. Teremos todo esse conjunto arquitetônico protegido e preservado para cada vez mais enaltecermos a nossa história”, afirmou Ruiter.

O chefe do Executivo Municipal antecipou a este Diário que a Prefeitura trabalha para viabilizar a chegada dos recursos do PAC Cidades Históricas para as obras de reforma da igreja. A Matriz é um dos projetos de Corumbá contemplados com recursos federais para sua recuperação. Em 2013, Corumbá foi a única cidade sul-mato-grossense selecionada pelo Governo Federal para receber verbas do Plano de Ação para as Cidades Históricas. São R$ 19,6 milhões para execução de 10 projetos de restauração e requalificação do patrimônio público.

Missa solene pela Cidade marca a celebração do Dia da Padroeira de Corumbá

“Semana passada uma equipe nossa esteve no IPHAN levantando a situação do PAC Cidades Históricas. Vimos que há condições favoráveis de recuperarmos esses recursos, de todo o PAC. A Prefeitura está mobilizada para retomarmos, o mais breve possível, o andamento do PAC Cidades Históricas”, disse o prefeito enfatizando que “independente disso, articulamos junto ao governador Reinaldo Azambuja a viabilização de recursos do Estado. O Município também está aportando recursos para a reforma” adiantou.

Ruiter quer ver o Dia da Padroeira ser celebrado na Matriz de Nossa Senhora da Candelária em 2018. “Essa ida ao IPHAN nos deixou motivados. Vamos fazer com que a obra, sendo ágil, nos permita ter a celebração daqui um ano na própria igreja”, completou o prefeito.

Pároco da Catedral, o padre Fábio Vieira classificou o dia como “histórico” e disse que “há muito” já deveria ter acontecido. O religioso destacou também que o decreto municipal permitirá ajuda ainda maior do Poder Público para finalizar a reforma da igreja, que está interditada desde junho do ano passado, quando parte da estrutura de gesso do teto caiu.

Prefeito Ruiter Cunha disse que busca a liberação de recursos do PAC das Cidades Históricas

“É um dia histórico e feliz. Palavra alguma retrata o que significa o reconhecimento da igreja Catedral como patrimônio histórico do Município. Há muito, isso já era para ter acontecido. Uma vez reconhecido [como patrimônio] se justifica ajuda do Poder Público”, afirmou o padre. O Estado também analisa o processo para declarar a Catedral como patrimônio histórico Estadual. 

 

Ações e Compartilhamento
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE