PUBLICIDADE

Abner Teixeira fatura 1º bronze no boxe; Bia Ferreira avança à semifinal em Tóquio

Agência Brasil em 03 de Agosto de 2021

Gaspar Nóbrega/COB

Abner Teixeira perdeu para Julio La Cruz na semifinal, mas é medalhista de bronze

O boxe brasileiro conquistou na manhã desta terça-feira (03) uma medalha de bronze na Olimpíada de Tóquio (Japão) com Abner Teixeira (91 quilos) e assegurou outra, antecipadamente, com a peso leve Bia Ferreira, única que venceu nesta terça-feira, na Arena Kokugikan, na capital japonesa. Favorita ao ouro, a campeã mundial avançou às semifinais na categoria até 63 kg.

Como na modalidade não há disputa de terceiro lugar, quem ganha nas quartas já garante o bronze. O país tem ainda um terceiro bronze encaminhado com Hebert Conceição (75 kg) que disputa a semi na quinta (05), às 03h (horário de Brasília). 

Primeiro brasileiro a chegar à semifinais do boxe nos Jogos de Tóquio, o peso-pesado Abner Teixeira, de 24 anos, ficou com o bronze após ser superado por 4 a 1, em decisão dos juízes, pelo experiente cubano Julio La Cruz, tetracampeão mundial amador e ouro na Rio 2016. 

Gaspar Nóbrega/COB

Bia Ferreira na semifinal da categoria até 60 quilos

A primeira a entrar no ringue na madrugada desta terça, foi a campeã mundial Bia Ferreira, que se classificou  à semifinal na categoria até 60 kg, após atropelar a uzbeque  Raykhona Kodirova, com vitória unânime dos juízes (5 a 0). Favorita ao ouro, a baiana terá pela frente na semi a finlandesa Mira Potkonen. O duelo está programado para às 2h (horário de Brasília) de quinta-feira (05).  

"Já consegui a mãe de todas, agora só falta mudar a cor dela", disse a atleta, em depoimento ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). "A meta é ouvir o meu hino no alto do pódio. Treinei muito e imaginei várias vezes estar aqui numa semifinal. É uma mistura de sensações. Estava concentrada na luta, mas também me divertindo”, completou Bia.“

O peso-leve Wanderson Oliveira, conhecido com Sugar, se despediu dos Jogos nesta terça, ao perder nas quartas de final, por 4 a 1, para o cubano Andy Cruz, bicampeão mundial. 

PUBLICIDADE