PUBLICIDADE

Queimadas são controladas, mas equipes mantêm esquema de prevenção ao fogo

Leonardo Cabral em 09 de Julho de 2020

Divulgação/ Bombeiros

Foco que se alastrava do outro lado do rio foi controlado

Mesmo com as chamas controladas, o Corpo de Bombeiros seguiu com equipe de combate a incêndios florestais, nesta quinta-feira, 09 de julho, em uma área que fica em frente ao Porto Geral de Corumbá, do outro lado do rio Paraguai.

Conforme o Corpo de Bombeiros Militar, o foco perdeu a intensidade e está seguindo lentamente para uma região em que é feita a retirada de areia e argila por uma empresa da cidade. A equipe faz o monitoramento para que o fogo ainda existente, não mude de direção e seja extinto nesta área que já foi bastante afetada. Até então, cerca de 30 hectares foram consumidos.

Ainda segundo os bombeiros, o foco que ainda persiste é aquele que tem queima subterrânea em vegetação sobreposta ou alagada, onde se registra mais presença de fumaça pela umidade da área, já que o terreno é alagado. Essa fumaça chegou a encobrir Corumbá na segunda e na terça-feira.

Conforme apurado pelo Diário Corumbaense, a suspeita é de que o fogo tenha sido criminoso, já que na área próxima ao incêndio, uma recente plantação de mandioca foi encontrada, o que leva a crer que para limpar a área, os plantadores atearam fogo na vegetação. A situação é investigada.

No Jatobazinho, fogo também controlado

Na região do Jatobazinho, o incêndio florestal também foi controlado e não mais ameaça a escola rural mantida pela Ong Acaia Pantanal em parceria com a Prefeitura de Corumbá. As equipes da linha de combate às chamas, devem retornar à Corumbá nesta sexta-feira (10).

Com sensação de alívio, o coronel Ângelo Rabelo, do Instituto Homem Pantaneiro (IHP), disse que o fogo segue em outra direção. “Estamos finalizando os procedimentos do aceiro, a princípio o foco foi controlado, pelo menos nas proximidades da escola e com isso, vamos organizar para que brigadistas e a equipe dos bombeiros retornem para Corumbá. Isso porque  observamos que o fogo segue em direção a outras regiões. Mas, vamos manter esquema de prevenção para não ter surpresa com outros focos de incêndio que ameacem o patrimônio”, disse Rabelo ao Diário Corumbaense.

Foto enviada ao Diário Corumbaense

No Jatobazinho, queimada também foi controlada, mas esquema de prevenção será mantido

Ele ainda revelou que possivelmente mais de 20 mil hectares foram consumidos pelo fogo, que ainda existe, mas de maneira controlada, sem emaças. “Isso corresponde a todas as áreas próximas à escola e para onde o fogo propagou”, completou.

Foram usados no combate ao incêndio na região do Pantanal de Corumbá, dois tratores, um como caminhão pipa, e outro que ajudou a fazer o aceiro, garantindo a possibilidade do controle das chamas.

Além disso, desde que o fogo começou, seis brigadistas foram enviados rapidamente pelo IHP, para controlar as chamas. Bombeiros de Corumbá e Aquidauana também reforçaram a equipe que combateu o incêndio florestal.

Queimadas no Pantanal

Corumbá segue liderando o ranking de queimadas por município brasileiro. A cidade já soma 1.895 focos de incêndios florestais. Só no mês de julho, nesses primeiros nove dias, já foram contabilizados 122 focos. Os dados são do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais- INPE.

PUBLICIDADE