PUBLICIDADE

Bolivianos que viviam no Brasil começam a ser repatriados pela fronteira com Corumbá

Leonardo Cabral em 12 de Maio de 2020

Diário Corumbaense

Bolivianos repatriados foram escoltados pela Agetrat e Polícia até o Posto Esdras, na fronteira

Após a repatriação de brasileiros, que ainda deve prosseguir, agora bolivianos estão sendo repatriados. Só nesta terça-feira, 12 de maio, 163 devem desembarcar na fronteira de Corumbá com as cidades bolivianas de Puerto Quijarro e Puerto Suárez.

Os ônibus saíram de São Paulo na segunda-feira (11). Até a manhã de hoje, três coletivos chegaram em Corumbá e logo foram interceptados na Barreira Sanitária, localizada no Posto de Fiscalização Lampião Aceso, na BR-262.

“Os viajantes chegam nos ônibus e lá, fazemos a verificação dos coletivos e, então, junto com policiais, fazemos a escolta até o desembarque na fronteira, garantindo que nenhum dos estrangeiros fique em Corumbá ou Ladário, o que não é permitido por força de decreto municipal”, explicou assessor-executivo da Agência de Trânsito, Alexandre Vasconcellos. A barreira sanitária completa 50 dias de atuação das equipes da Agetrat e da Vigilância Sanitária.

Ao Diário Corumbaense, o gerente da Rede de Saúde da Província de German Busch, Edgar Hinojosa, disse que os bolivianos que vêm da cidade paulista têm que ter em mãos certificados médicos testando negativo para o novo coronavírus.

“Todos os viajantes tem que estar com autorização do consulado brasileiro para seguir viagem. Chegando aqui, na hora do desembarque, eles passam pelos trâmites do setor de migração dos dois países e também pelos procedimentos de desinfecção, onde então, são encaminhados para  Instituto Tecnológico Germán Busch- ITA, em Puerto Suárez. Lá, eles  permanecem em quarentena por 14 dias. Nesse local, receberão atendimento médico, caso precisem”, falou Edgar informando que só nesta terça-feira (12) são 163 bolivianos que deverão chegar na região e a previsão é que mais cheguem nos próximos dias.

Diário Corumbaense

Bolivianos repatriados cruzando a fronteira na ponte internacional e sendo desinfectados

Do lado boliviano, na linha internacional que separa os dois países, uma força-tarefa foi montada para receber os estrangeiros. Além de equipes médicas, fazem parte da ação, militares do Exército Boliviano, Polícia Nacional e da Armada Boliviana. Logo depois de cumprirem a quarentena, os bolivianos repatriados do Brasil, poderão seguir viagem para os locais de destino no país vizinho.

Até o momento, no lado boliviano da fronteira foi registrado apenas um caso de covid-19. Foi em um policial que chegou na cidade de Santa Cruz de La Sierra. Depois de diagnosticado com a doença, ele foi levado de volta para Santa Cruz, município do país referência no tratamento ao vírus.

Embarque e desembarque proibidos

Em Corumbá, estão proibidos desde 23 de março o embarque e desembarque de passageiros para evitar a propagação do novo coronavírus. A Rodoviária Intermunicipal também foi fechada. Por dia, circulavam por ali entre 1.000 e 1.500 pessoas.

O trabalho de controle é feito através da barreira sanitária, na BR-262, que conta com equipes da Agetrat, Vigilância Sanitária e tem o apoio da Polícia Militar. As pessoas que chegam em veículos pequenos, são cadastradas e orientadas sobre o isolamento domiciliar por sete dias para quem não tem sintomas da covid-19. A barreira também fiscaliza vans e ônibus que insistem em burlar a proibição de serviços de transporte de passageiros de outras cidades para Corumbá.

PUBLICIDADE