Fumaça prejudica combate aéreo a incêndios e cancela voo comercial em Corumbá

Leonardo Cabral em 15 de Março de 2020

Diário Corumbaense

Voo comercial foi cancelado devido a falta de visibilidade

Brigadistas do 3° Grupamento de Bombeiros de Corumbá, seguem o trabalho de combate a focos de queimadas na região do Pantanal de Corumbá e Ladário. Com apoio de militares das unidades de Maracaju, Aquidauana e Jardim, eles realizaram sobrevoo no sábado, 14 de março, com helicóptero da Polícia Militar do Estado, que também está ajudando na ação, para identificar os pontos de calor e direcionar as equipes.

Além disso, outra guarnição percorreu áreas via fluvial, na região do Bracinho. Os militares que estavam na aeronave, também foram posicionados estrategicamente para realizar o combate aos focos no Paraguai Mirim, conforme informações do Corpo de Bombeiros.

Os trabalhos de combate ao fogo, também contaram com o apoio de helicóptero da Marinha do Brasil, que disponibilizou o sistema Bumbi buckte, jogando água por via aérea em pontos estratégicos.

Porém, neste domingo, 15 de março, a densa camada de fumaça encobriu toda a região. Até mesmo o voo comercial da companhia aérea Azul, foi cancelado no Aeroporto Internacional de Corumbá por conta da situação. Passageiros disseram ao Diário Corumbaense que foram informados que a aeronave não poderia pousar devido à falta de visibilidade.

Diário Corumbaense

No saguão do Aeroporto de Corumbá, passageiros foram informados do cancelamento do voo

O voo sairia por volta das 09h50 e devido ao cancelamento, a informação repassada pela companhia no saguão do aeroporto foi de que o voo com destino à Corumbá faria o pouso em Bonito. Já os passageiros,  poderiam seguir viagem em um ônibus disponibilizado pela empresa até Campo Grande, poderiam remarcar ou cancelar a viagem, com reembolso.

O helicóptero da Polícia Militar que também faria sobrevoo novamente para avaliar a situação, também não pôde decolar por causa das condições de visibilidade.

O comando do Corpo de Bombeiros teve que fazer uma nova distribuição das equipes que irão trabalhar neste domingo em área próxima ao Rabicho e chácaras da região conhecida como 72, em Ladário, onde ha focos de incêndio. 

Queimadas

Nestes três primeiros meses do ano, de janeiro a março, Corumbá segue liderando o ranking de queimadas no Brasil, com 462 focos de queimadas. Só na primeira quinzena de março, já foram registrados 260 focos de incêndio na cidade.

Nas últimas 48h, Corumbá soma 43 focos, conforme dados do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

Neste período do ano era para estar ocorrendo registro de grande quantidade de chuva na região pantaneira. Focos de queimadas são mais comuns no mês de junho, final do outono e início do inverno.

PUBLICIDADE