PUBLICIDADE

Evo Morales renuncia à presidência da Bolívia; manifestantes comemoram na fronteira

Leonardo Cabral em 10 de Novembro de 2019

Mauricio Cambara/El deber

Evo Morales governava a Bolívia há 13 anos

Evo Morales renunciou ao cargo de presidente da Bolívia. Em pronunciamento feito de Chimboré, na província de Cochabamba, ele disse que tomou a decisão para que os opositores "parem de cometer violências contra seus apoiadores".

No pronunciamento, acompanhado de seu vice-presidente, Alvaro Garcia Linera, que também renunciou, Morales acusou Carlos Mesa e outros líderes da oposição de cometerem um golpe de Estado.

Cerca de uma hora antes, o comando das Forças Armadas da Bolívia e os chefes de polícia haviam feito anúncios pedindo a renúncia de Morales.

A decisão de Evo Morales ocorre vinte dias após a votação que teria lhe garantido o quarto mandato consecutivo à frente do governo boliviano já no primeiro turno, vencendo o opositor e ex-presidente Carlos Mesa.

Diário Corumbaense

Manifestantes na fronteira da Bolívia com Corumbá, comemoram renúncia

O resultado das eleições de 20 de outubro, no entanto, foram contestados pela oposição e deflagraram grandes protestos contra e a favor de Morales. Três pessoas morreram durantes os confrontos. 

Na manhã deste domingo, Evo chegou a convocar novas eleições e também anunciou a renovação dos membros do Supremo Tribunal Eleitoral. Também disse que não renunciaria, que iria cumprir seu papel constitucional. Isso depois que auditoria da OEA (Organização dos Estados Americanos) apontou irregularidades na eleição presidencial.

Fronteira com Corumbá

A fronteira das cidades bolivianas de Arroyo Concepción, Puerto Quijarro e Puerto Suarez com Corumbá, foi fechada desde o início dos protestos. Há 19 dias, o tráfego de veículos pela linha internacional foi bloqueada, além de trechos da rodovia bioceânica, que liga a província de German Busch a Santa Cruz de La Sierra.

A notícia da renúncia de Evo Morales foi comemorada pelos manifestantes. A expectativa agora é que a fronteira, fechada desde 23 de outubro, seja reaberta.  

Com informações do Portal R7.

PUBLICIDADE