Corumbá terá atividades da "Hora do Mamaço" e roda de conversa sábado

Ricardo Albertoni em 15 de Agosto de 2018

Arquivo Diário/Anderson Gallo

Ação será realizada a partir das 15h, no Porto Geral

No dia 18 de agosto, sábado, acontecerá em Corumbá, a 2ª “Hora do Mamaço”. A ação, que tem como tema este ano "Amamentação é a base da vida", será realizada a partir das 15h, no Porto Geral.  O ato é organizado por mulheres da comunidade e faz parte de um evento nacional que acontecerá em diversas cidades do Brasil em comemoração ao Agosto Dourado, considerado mês símbolo da luta pelo incentivo à amamentação.

Durante o encontro, os participantes terão acesso a uma série de atividades previstas pela organização que incluem contação de história do livro "Tá na hora de mamar", de Simone de Carvalho; aferição de pressão arterial e glicemia por  estudantes do curso técnico em enfermagem da escola estadual Dr. Gabriel Vandoni de Barros; informações sobre direitos com advogadas da CODECAM (Comissão de Defesa dos Direitos da Criança e Adolescente e Mulher em Situação de Violência) e da Comissão Mista de Enfrentamento à Violência Doméstica da OAB/MS.

Ao Diário Corumbaense, uma das organizadoras, a fisioterapeuta e consultora do Aleitamento Materno, Fernanda Jazenko, explicou que as atividades tem o objetivo de chamar a atenção das famílias e trazer conhecimento às pessoas sobre o tema.

Arquivo Diário/Anderson Gallo

Durante o encontro, os participantes terão acesso a uma série de atividades previstas pela organização

“Amamentar, ao contrário do que muitas pessoas ainda acreditam, não é instinto.  Amamentar é aprendizado para a mãe, para o bebê e para quem está ao redor. É preciso receber informações ainda no pré-natal, muitas vezes receber apoio profissional ao longo da amamentação. As dificuldades são muitas e apoio real ainda precisa ser muito aprimorado. Desejamos chamar a atenção das famílias e dos profissionais para o tema  e tecer uma grande rede de apoio que promova,  proteja e apoie o aleitamento materno na nossa cidade”, explicou Fernanda.

Rodas de Conversa

Além do evento que será realizado no dia 18 de agosto, os interessados no tema poderão participar de rodas de conversa.

No próximo dia 21, na Alegoria, localizada na avenida General Rondon, 1.249, será debatido o tema “Violência Obstétrica. O que é e como se proteger”. 

No dia 24, às 14h, profissionais e estudantes das áreas de Saúde e Educação, além de pessoas interessadas poderão participar do encontro "Amamentação: a Informação é o Caminho para o Sucesso" que acontecerá na Unidade Básica de Saúde Breno de Medeiros no bairro Popular Nova.

No dia 27, na Estratégia de Saúde da Família Fernando Moutinho, no Cristo Redentor, os participantes poderão trocar de experiências sobre amamentação e aleitamento.

Fechando a programação do Agosto Dourado, no dia 31, na Alegoria, será a vez de debater o assunto: “Desmame Gentil Guiado”. Informações podem ser obtidas pelos telefones: (67) 9 9874-1097 ou (67) 9 9945-8187.

Agosto Dourado

Em 2017, para marcar a 25ª Semana Mundial da Amamentação, o Congresso Nacional Brasileiro instituiu, por meio da lei número 13.435, o Mês do Aleitamento Materno: o Agosto Dourado.

A partir daí, o oitavo mês do ano é dedicado a informar e debater sobre a importância de amamentação. O dourado faz alusão à definição da OMS (Organização Mundial da Saúde) para o leite materno: alimento de ouro para a saúde dos bebês.

A lei brasileira sugere que prédios públicos sejam iluminados com a cor dourada em homenagem à amamentação.

Os benefícios do aleitamento materno

A amamentação é uma pratica natural, capaz de trazer inúmeros benefícios para o bebê, como também para a mãe e a família. O aleitamento materno deve ser exclusivo até os seis meses de vida. Isso significa que, até completar essa idade, o bebê deve receber somente o leite materno, não deve ser oferecida qualquer outro tipo de comida ou bebida, nem mesmo água ou chá. Após esse período ele deve continuar, pelo menos até os dois anos de idade, em associação com a alimentação complementar.

As vantagens do aleitamento materno são muitas:

  • promove uma interação profunda entre mãe e filho;
  • ajuda no desenvolvimento motor e emocional da criança;
  • faz o útero da mãe voltar mais rápido ao tamanho natural;
  • diminui o risco de hemorragia pós parto e, consequentemente, de anemia na mãe;
  • ajuda a mulher a voltar mais rapidamente ao peso que tinha antes da gestação e diminui o risco de câncer de mama e de ovário.

O leite materno é um alimento completo e ideal para o bebê, pois ele contém todos os nutrientes em quantidades adequadas, proporciona ótimo crescimento, é de fácil digestão, fornece água para hidratação, protege contra infecções e alergias e propicia menos problemas ortodônticos (dentes) e fonoaudiólogos (na fala) associados ao uso de mamadeira.

Muitos mitos ainda cercam o aleitamento materno e eles podem atrapalhar esse momento tão importante. Veja alguns mitos e verdades.

Mitos

  • o leite de vaca é mais completo em nutrientes que o leite materno;
  • se a mãe não amamentar o primeiro filho, não conseguirá amamentar o segundo;
  • a produção de leite só começa três dias após o parto;
  • o bebê com diarreia não deve ser amamentado;
  • quando a mulher engravida novamente, não pode mais continuar amamentando;
  • algumas mulheres produzem pouco leite e, por isso, ele não deve ser oferecido para o bebê.

Verdades

  • estresse influencia na produção do leite;
  • o leite materno pode ser congelado;
  • o aleitamento materno exclusivo deve ocorrer até o sexto mês de vida;
  • mulheres que estão amamentando não podem tomar nenhum tipo de medicamento sem prescrição médica;
  • não existe leite fraco.
PUBLICIDADE