PUBLICIDADE

PMA socorre catadora de iscas que levou ferroada de arraia

Rosana Nunes em 11 de Setembro de 2021

Divulgação/PMA

Mulher sendo socorrida pela PMA e levada para atendimento médico

Mulher grávida, de 38 anos de idade, foi socorrida por policiais militares ambientais, depois de levar ferroada de uma arraia, na tarde de sexta-feira, 10 de setembro. 

O irmão dela, que é pescador, acionou a PMA e imediatamente a guarnição foi até o Porto Geral de Corumbá, onde a vítima sentia muitas dores. 

O pescador informou que o acidente ocorreu quando os dois capturavam iscas no Canal do Tamengo, no rio Paraguai. A mulher pisou na arraia e levou a ferroada no tornozelo. 

A guarnição da PMA transportou a vítima à uma unidade de saúde, onde recebeu atendimento médico. Horas depois, ela foi liberada. 

O ferrão

A arraia tem um ferrão serrilhado na cauda, que pode ser simples, duplo e até triplo. O ferrão entra fácil e sai rasgando, por isso machuca muito, e é coberto por um muco onde fica o veneno. O acidente acontece quando as pessoas entram no rio, principalmente na parte mais rasa e onde há lodo. A pessoa pisa na arraia que,  para se defender, vira a cauda em direção à perna da pessoa enfiando o ferrão.

Após a ferroada, é necessário fazer uma série de procedimentos, que vão impedir a ação do veneno, limpar o tecido morto e combater a ação das bactérias. Tem casos que levam até três meses para cicatrizar. Com informações G1/Santarém. 

PUBLICIDADE