PUBLICIDADE

Manifestação pede inclusão de jornalistas em grupos prioritários para vacinação

Campo Grande News em 09 de Junho de 2021

Saul Schramm/Governo do Estado

Vestidos de azul e com faixas da campanha nacional, profissionais da imprensa e integrante do Sindjor se reuniram em frente ao prédio da SES

Jornalistas se reuniram em frente ao prédio da SES (Secretaria de Estado de Saúde) em Campo Grande para pedir a inclusão dos profissionais de imprensa nos grupos prioritários na vacinação contra a Covid-19. A manifestação marca o Dia Nacional de Luta pela Vacinação dos Jornalistas, organizado pela FENAJ (Federação Nacional dos Jornalistas).

Vestidos de azul e com faixas da campanha nacional, profissionais da imprensa e integrante do Sindjor (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul) conversaram com o secretário de Saúde, Geraldo Resende, sobre a importância de se incluir os jornalistas entre os grupos prioritários para a vacinação.

“É crucial. A categoria está inserida no decreto nº 10.288, de 22 de março de 2020 como essencial no combate a Covid-19, mas não figura no Programa Nacional de Imunizações. Os repórteres estão expostos a infecção, por ser da linha de frente. Se não fosse o trabalho da imprensa, essa pandemia que está drástica seria pior ainda”, afirmou o presidente do Sindjor-MS Walter Gonçalves.

Durante a conversa, o representante do Sindicato entregou ao secretário ofício em nome dos profissionais de todo o Estado,  pedido do Sinjorgran (Sindicato dos Jornalistas Profissionais na Região da Grande Dourados) e também os resultados de uma pesquisa realizada em 82 redações de Mato Grosso do Sul sobre as condições de trabalho na pandemia. 

Saul Schramm/Governo do Estado

Presidente do Sindjor e o secretário Geraldo Resende

O levantamento revelou que cerca de 200 jornalistas do Estado foram contaminados pelo coronavírus desde o início da pandemia, 8 deles morreram em consequência da doença, 6 em 2021.

Diante da manifestação, o secretário afirmou defender a vacinação dos jornalistas. Segundo ele, uma nova atualização do PNI (Programa Nacional de Imunizações) deve ser feita nos próximos dias com a inclusão dos profissionais de imprensa como grupo prioritário. Caso a solicitação nacional seja vetada, se comprometeu a procurar uma alternativa. 

Ao presidente do Sindicato, Geraldo Resende afirmou que caso não ocorra a mudança no plano de vacinação nacional irá conversar com a Comissão Intergestores Bipartite de MS para que cada município destine doses aos jornalistas por conta própria. “Alguns estados estão vacinando desta maneira, isso abre esperanças para que aconteça nos demais estados e aqui também”, explicou Walter.

O dia nacional de luta ainda conta com uma live para debater o tema, que será transmitida às 18 horas no facebook da Fenaj. O evento virtual conta com a participação do deputado federal Dagoberto Nogueira, autor do projeto de lei para vacinação da imprensa. 

PUBLICIDADE