PUBLICIDADE

Sejusp dá dicas para se proteger de golpes pela internet

Portal de Notícias do Governo de MS em 02 de Abril de 2021

Tem se tornado cada vez mais comum os crimes de estelionato cometidos por meio da internet. Os golpes pelo aplicativo de mensagens WhatsApp já representam boa parte das ocorrências de estelionato registradas pela Polícia Civil em Mato Grosso do Sul.

Reprodução

Quando a vítima fornece o código, os criminosos conseguem fazer a ativação da conta do aplicativo

Durante a pandemia da Covid-19 a quantidade de casos cresceu ainda mais, segundo a Instituição. Uma onda de clonagem de aplicativos de mensagens, onde bandidos pedem dinheiro, já virou rotina. Esse tipo de golpe pode começar com uma ligação ou até mesmo com uma simples mensagem.

"Geralmente, criminosos ligam para a vítima aproveitando-se de informações pessoais colocadas em um anúncio em site de vendas, feito pela própria vítima. Ou então simulam uma pesquisa ou alguma promoção. Ao final da conversa, independente da história contada, sempre solicitam um código de verificação ou de segurança que você receberá em seu celular por mensagem de texto, SMS. Jamais forneça esse código, em hipótese alguma", explicou o investigador da Polícia Civil, Michel Weiler Neves, especialista em Segurança da Comunicação.

Quando a vítima fornece o código, os criminosos conseguem fazer a ativação da conta do aplicativo e, em seguida, instalam o WhatsApp em outro aparelho e começam a pedir dinheiro para os contatos da vítima.

Além dessa clonagem do aplicativo, alguns criminosos têm adotado outra forma de cometer a fraude. "Também tem acontecido muitos casos onde o criminoso finge que a vítima trocou de telefone e com outro número ele entra em contato e pede dinheiro".

Michel explica que em qualquer uma das situações a primeira coisa a ser feita é solicitar o bloqueio imediato da conta e encaminhar um e-mail ao WhatsApp informando que perdeu o acesso à conta.

"É importante que as pessoas não passem dinheiro, não façam depósitos, sem antes ligar. Mesmo que seja pai ou mãe, sempre desconfie", alertou Michael.

A professora Silvana teve o WhatsApp clonado e o prejuízo para os amigos foi grande, chegando a quase 3 mil. "Amigos fizeram depósitos no valor de R$ 550,00, R$ 970,00, R$ 515,00, R$ 300,00 e outros valores. Além de dar aulas eu vendo roupas e meus clientes acharam que eu estava cobrando", contou.

Silvana lembra que a mensagem com o suposto código de ativação parece ser verdadeiramente encaminhada pelo aplicativo. "É como se fosse do watts. É muito difícil perceber que não é. E assim que eu passei o código, a tela do WhatsApp ficou diferente e eu já não conseguia mais falar nada no aplicativo".

Notificação

Milhares de pessoas são vítimas desse tipo de golpe. No entanto, com muitos casos de subnotificação no Estado, tem sido difícil registrar números que retratem a realidade do estelionato pela internet, especificamente pelo WhatsApp, conforme explicou Michel.

"Grande parte dos casos ocorre através da internet. O problema é que muitos são subnotificados porque as vítimas deixam de registrar o ocorrido quando os valores extorquidos são pequenos. Em alguns casos, a vítima não tem consciência de que o meio que a levou à subtração do dinheiro foi a internet" explicou Michel.

Estelionato

Em Mato Grosso do Sul os crimes de estelionato, que englobam todos os tipos de fraudes - incluindo aquelas cometidas pela internet - cresceram vertiginosamente nos últimos anos. De 2019 para 2020 o aumento foi de 38%, subindo de 6.586 para 9.071 casos.

Veja AQUI as orientações de como se proteger deste crime.

PUBLICIDADE