PUBLICIDADE

Prêmios não resgatados no Nota MS Premiada serão destinados para habitação popular

Da Redação com assessoria de imprensa em 25 de Fevereiro de 2021

Divulgação

Em 2021, 1.521 pessoas perderam prazo para resgatar prêmio

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, aprovou na quarta-feira (24), a lei complementar que destina os prêmios não resgatados no programa Nota MS Premiada para construção de casas populares. A partir de agora, o dinheiro não retirado pelos sorteados em um prazo de 90 dias será enviado ao Fundo de Habitação de Interesse Social (FEHIS) e investido em políticas habitacionais para a população de baixa renda.

Desde que o programa foi instituído em Mato Grosso do Sul, em janeiro de 2020, os valores dos prêmios não retirados pelos ganhadores voltavam para os cofres públicos. Em novembro do ano passado, o projeto para mudar a legislação e devolver esse dinheiro para a população em serviços públicos, foi enviado à Assembleia Legislativa. Em votação, a lei foi aprovada por unanimidade e agora vai para sanção do governador Reinaldo Azambuja.

Ao longo do primeiro ano do Nota MS Premiada, 1.521 pessoas perderam o prazo de 90 dias para receber o prêmio, um valor que soma mais de R$ 906,2 mil. “É uma destinação que estamos dando para poder manter o caráter social do nosso programa Nota MS Premiada. Além de distribuir o prêmio para aqueles que participam, o dinheiro que não chegar ao ganhador vai ser usado para um benefício social, garantindo dignidade e solidariedade”, defendeu o chefe da Unidade de Educação Fiscal e coordenador do Nota MS Premiada, Amarildo Cruz.

Como participar do programa

Para participar do programa Nota MS Premiada basta pedir a inclusão do CPF na nota no momento da compra. Automaticamente esses consumidores concorrerem mensalmente a um prêmio total de R$ 300 mil. Desse valor, R$ 100 mil é dividido entre aqueles que acertam a sena e R$ 200 mil entre os que fazem a quina.

Para saber se foi um dos contemplados basta entrar no site www.notamspremiada.ms.gov.br e digitar o número do CPF. Se sorteado, o consumidor precisa realizar um cadastro no mesmo portal. Nele deve constar os dados bancários e informações pessoais corretas. Isso deve ser feito dentro de um prazo de 90 dias. Caso não seja, o ganhador perde o direito de receber os valores. Até o momento, o programa já pagou mais de R$ 2,2 milhões aos sorteados. 

PUBLICIDADE