PUBLICIDADE

Câmara pede medidas rígidas para acabar com aglomerações e brigas no Porto Geral

Da Redação com assessoria de imprensa da Câmara Municipal em 24 de Fevereiro de 2021

Reprodução/Vídeo

Aglomerações e brigas estão se tornando comuns, principalmente nos fins de semana, no Porto Geral

As constantes aglomerações e brigas generalizadas, em plena pandemia da covid-19, que estão ocorrendo no Porto Geral de Corumbá, principalmente nos finais de semana, foram amplamente debatidas na sessão de ontem, terça-feira, 23, na Câmara Municipal. O assunto foi levantado pelos vereadores Allex Dellas e Chicão Vianna, que apresentaram requerimentos solicitando às autoridades.

Em sua solicitação, Dellas pediu reforço do patrulhamento no Porto, principalmente no período noturno e nos finais de semana. O requerimento foi endereçado ao secretário municipal de Segurança Pública e Defesa Social, César Freitas Duarte, com cópia ao comandante do 6º Batalhão da Polícia Militar, tenente-coronel Elcio Almeida. Destacou que, além das aglomerações em período de pandemia da covid, estão ocorrendo “brigas, roubos e furtos, não se respeito o toque de recolher vigente”.

Chicão, por sua vez, requereu o envio de expediente ao secretário de Estado de Segurança Pública, solicitando envio de contingente com o intuito de auxiliar a segurança no Porto Geral. Conforme ele, “seria de grande valia que fossem enviados reforços da Polícia Militar, de regimentos como tropa de choque e cavalaria, uma vez que, em todos os finais de semana, ocorrências de brigas e confusões vêm sendo registrados, colocando em risco a segurança de todos que passam pelo local, além de contribuir para propagação do coronavírus”.

O assunto tomou proporções com Chicão Vianna fazendo uso da palavra, utilizando inclusive recursos da mídia social (live), pedindo providências das autoridades, de uma maneira geral, “para solucionar o problema, inclusive, se necessário, com adoção de medidas impopulares, como fechamento do Porto Geral”, reforçou.

Outros vereadores também comentaram a questão. O presidente do Legislativo, Roberto Façanha, disse se tratar de um “problema sério que precisa ser solucionado” e que é necessária a união de esforços para que isso acontece.

O vereador Nelsinho Dib destacou que a direção da Acert (Associação Corumbaense das Empresas e Turismo), já se dispôs a doar para o Município, três quiosques que seriam utilizados pelas forças de segurança em pontos estratégicos do Porto, como forma de inibir aglomerações e a violência.

Manoel Rodrigues acentuou que é preciso buscar alternativas para solucionar o problema, e que, inclusive, já está em entendimentos com o comandante da Polícia Militar, tenente-coronel Élcio Almeida, para um encontro com os vereadores, e tratar desse e de outros assuntos, já que a atual situação não é exclusiva do Porto Geral, “mas de toda a cidade”.

PUBLICIDADE