PUBLICIDADE

Com chuvas, nível do rio Paraguai começa a apresentar tendência de recuperação

Rosana Nunes em 18 de Janeiro de 2021

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Rio Paraguai, em Ladário, chegou a registrar 32 centímetros negativos em outubro passado

Após a maior estiagem em 50 anos registrada em 2020, o nível do rio Paraguai, em Ladário, apresenta tendência de recuperação. É o que apontam as projeções do Serviço Geológico do Brasil (CPRM). Para as próximas semanas, é provável que a retomada se torne mais intensa em razão das chuvas sequenciais, acima da média histórica, que caem na região.

Nesta segunda-feira, 18 de janeiro, a altura do rio Paraguai, na régua do 6° Distrito Naval de Ladário, alcançou a marca de 88 centímetros. Ao longo de todo este mês, o nível do rio vem apresentando alta em seus níveis. 

O rio começou a subir no final do ano passado, após atingir a marca mínima de 32 centímetros negativos (-32 cm) nos dias 23 e 25 de outubro. O maior ciclo de seca registrado no Pantanal foi de dez anos consecutivos (1964 a 1973). Nesse ciclo, o nível mínimo foi de 61 centímetros abaixo do zero da régua, ocorrido em 1964, segundo a Embrapa Pantanal. 

Hoje, de acordo com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), o modelo de previsão mostra uma recuperação bastante lenta dos rios da bacia. Em Ladário, o rio Paraguai deve manter-se abaixo do nível de referência de 1,50 m, pelo menos, ao longo das próximas quatro semanas.

Estão previstas precipitações em toda área da bacia do rio Paraguai, com intensidades variáveis espacialmente. Acumulados mais significativos são esperados, com maior intensidade, nesta semana, entre os dias 14 e 20 de janeiro, sendo menores na semana posterior.

Corumbá vem registrando índices de chuva acima da normal climatológica para janeiro. Na última quarta-feira (13), foram 187,2 mm de precipitação, afetando centenas de famílias que tiveram as residências inundadas. Naquele dia, Corumbá foi a cidade brasileira onde mais choveu, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

No domingo, dia 17, o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden) registrou 68,8 milímetros de chuva em Corumbá.

Região Hidrográfica do Paraguai

A Região Hidrográfica do Paraguai ocupa 4,3% do território brasileiro (363.446km²), abrangendo parte de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o que inclui a maioria do Pantanal, maior área úmida contínua do planeta. Os principais cursos d’água são: rio Paraguai, Taquari, São Lourenço, Cuiabá, Itiquira, Miranda, Aquidauana, Negro, Apa e Jauru.

Na RH do Paraguai moram 2,39 milhões de pessoas, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), sendo 87% em áreas urbanas. A maior das 78 cidades da RH do Paraguai é a capital de Mato Grosso: Cuiabá. Outras cidades também possuem contingente populacional significativo, como: Várzea Grande (MT), Rondonópolis (MT), Corumbá (MS), Cáceres (MT), Tangará da Serra (MT) e Aquidauana (MS).

PUBLICIDADE