PUBLICIDADE

Vagas temporárias de fim de ano reacendem a esperança de trabalhadores em Corumbá

Leonardo Cabral em 25 de Novembro de 2020

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Muitos dos contratados temporários, têm a primeira oportunidade de emprego

O movimento de clientes no comércio está começando a ficar aquecido, nesta reta final de 2020. Para suprir a necessidade de um bom atendimento e atrair ainda mais os consumidores, muitos estabelecimentos estão abrindo oportunidades a partir dos empregos temporários de fim de ano. 

Não há estimativa do número de vagas disponibilizadas no comércio de Corumbá. Porém, boa parte das lojas na região central, abre a possibilidade do contrato temporário, podendo ele, se tornar fixo. Um sonho de muitos colaboradores que veem na oportunidade a tão esperada vaga de emprego mesmo em um ano atípico, por conta da pandemia do coronavírus, no qual muitos trabalhadores acabaram sendo desligados de suas vagas, por conta da crise financeira que afetou o setor do comércio e da indústria diretamente.

O jovem Gabriel Luís de Souza Barros, não perdeu tempo e conquistou um contrato temporário em uma loja, localizada na rua Delamare, esquina com a Frei Mariano, Centro da cidade. “Aqui é muito bom para trabalhar, uma equipe boa, estou me esforçando muito, dando o meu melhor. Eu estava há dois anos desempregado e essa vaga veio a calhar. Vou ter a oportunidade de crescer e mirar naquilo que é o mais desejado, a vaga fixa”, disse Gabriel ao Diário Corumbaense

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Gabriel Luis e Lucas Rodrigues já atuam no departamento de vendas de loja

Companheiro de trabalho e que também viu no contrato temporário a oportunidade de um registro fixo, Lucas Rodrigues de Souza, de 22 anos, estava agradecido pelo primeiro emprego conquistado. “É temporário, mas vale muito, pois é meu primeiro emprego. Pretendo dar o meu melhor, conquistar a vaga e entrar em 2021 já empregado, ainda mais depois de um ano atípico por causa da pandemia, onde muitos perderam o emprego e buscam voltar ao mercado. Agora é aproveitar o momento”, falou Lucas que ainda frisou sobre o salário que vai receber. “Pretendo investir o que receber aqui”, completou. 

A líder de departamento da loja, Camila de Lima Pessoa, destacou que todos os anos o estabelecimento abre as vagas para os contratos temporários, pois além de visar no aquecimento das vendas, também analisa os novos colaboradores, para que sejam registrados e fixos após o término do contrato. 

A tendência é que haja um aquecimento ainda maior nas vendas e para suprir, temos que ter mão de obra. A estimativa é que as vendas possam crescer entre 40% e 50%, ainda mais que temos um público além das duas cidades, que são os bolivianos que ajudam a movimentar a economia local”, explicou Camila.

 

Ela ainda reforçou que para conquistar a vaga fixa, “a orientação que damos é que se dedique, tenha compromisso e responsabilidade com a oportunidade que está tendo, vista de fato a camisa da empresa”. 

Em busca de emprego 

De “olho” em uma das vagas,  Lucrecia de Souza Soares, foi até a loja deixar o currículo. Segundo ela, está disposta a entrar em qualquer área, pois o importante é estar empregada nesta reta final de 2020. 

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Lucrécia soube das vagas e foi entregar currículo

“Quero uma vaga e estou de olho em uma das oito que vão abrir em dezembro. Fui desligada do outro trabalho por contenção de gastos. Mas não desanimei e vim aqui trazer o meu currículo e espero que consiga a vaga, porque se tem um bom desempenho, pode ficar e ser efetivado”, mencionou esperançosa pela vaga ofertada. 

Na pandemia 

Desde março deste ano, quando a pandemia começou, muitos estabelecimentos comerciais e empresas privadas, bem como o setor do comércio em geral, viu a necessidade de dispensar alguns trabalhadores, devido à crise financeira. Alguns alegavam contenção de gastos e outros chegaram a fechar as portas. 

No entanto, alguns setores seguiram firmes e até contrataram funcionários. Só num supermercado, localizado na rua Frei Mariano, Centro, foram disponibilizadas de junho até agora, 12 vagas que já foram preenchidas. Ainda restam duas, que deverão ser ocupadas até o início de dezembro. 

“Sobre a contratação durante a pandemia, somos amparados por lei a realizar contratos temporários, e isso foi feito. No entanto, com o aumento do fluxo de consumo e produções internas, houve necessidade de registrar esses funcionários, criando assim um elo a mais de parceria com os novos colaboradores. Tivemos um aumento de mais 12 funcionários no nosso quadro, isso feito em todas as áreas, frente de caixa, padaria, açougue e até serviços gerais”, explicou a analista de recursos humanos do supermercado, Bruna Pires. 

Ainda segundo ela, essas contratações trouxeram resultados positivos. “Atendemos as demandas dos clientes e contribuímos com o salário de mais 12 famílias. Além de toda a equipe já estar envolvida com os pedidos das festividades de final de ano, que hoje, exige que fiquemos em casa. Nossa produção está em alta, e nosso supermercado abastecido”, mencionou a este Diário

Anderson Gallo/Diário Corumbaense

Neste supermercado, 12 vagas foram abertas na pandemia e Dayane (à direita) está no setor de frios há duas semanas

Há duas semanas ocupando uma das vagas dos frios, Dayane Nascimento, disse que estava realizada com o emprego, que por sinal, é o primeiro.  “Estou feliz, pois sei da dificuldade de muitas pessoas em conseguir uma vaga no mercado de trabalho. Agora é agarrar e não soltar”, falou toda contente a nova funcionária. 

Projeção de vagas

A Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços do Estado (Fetracom/MS) projeta a abertura de sete mil vagas temporárias em todo o Mato Grosso do Sul. Isso até o final de dezembro. 

Dados da Jucems (Junta Comercial) revelam que 6.681 empresas foram abertas em MS de janeiro a outubro de 2020. A quantidade é 9,5% maior que os 6.098 negócios constituídos no mesmo período de 2019 e já supera todo o ano de 2018, quando foram abertos 6.360 CNPJs. 

Nos últimos quatro meses, o Estado vem registrando ainda alta na geração de empregos, conforme o Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). Dados de setembro deste ano, divulgados em outubro, mostram que 3.049 vagas foram abertas em MS.

PUBLICIDADE