PUBLICIDADE

Intenção de consumo para o Dia dos Pais está um pouco mais "otimista", diz pesquisa

Rosana Nunes em 20 de Julho de 2020

Anderson Gallo/ Diário Corumbaense

Dia dos Pais é comemorado no segundo domingo de agosto

O Dia dos Pais, comemorado no segundo domingo de agosto,  deve movimentar R$ 130,96 milhões na economia de Mato Grosso do Sul este ano. A estimativa é 20% menor que em 2019, quando a projeção foi de R$ 163,70 milhões. Desse total, sendo R$ 79,02 milhões, devem ser destinados a presentes e R$ 51,94 milhões às comemorações.

A projeção é da pesquisa sazonal do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento da Fecomércio/MS (IPF-MS) e Sebrae/MS, que indica ainda que num cenário pós-pandemia, as vendas conseguiriam chegar ao montante de R$ 140,63 milhões.

Dentro desse período de pandemia, para Corumbá e Ladário, o levantamento projeta movimentação financeira que pode chegar aos R$ 4,94 milhões com a compra de presentes. Pouco menos de sessenta por cento dos entrevistados (63,16%) disseram que irão presentear e vão gastar em média R$ 119,52. No ano passado, a mesma estimativa indicava movimentação de R$ 4,69 milhões com 53,89% dos entrevistados pretendendo gastar média de R$ 135 com presentes.

“Percebemos que a intenção de consumo está muito aquém do esperado, mas que já está menos pior, na comparação aos meses anteriores. Esse resultado um pouco mais otimista também pode estar associado à redução da velocidade com que as demissões estão ocorrendo, principalmente no terceiro bimestre do ano”, explica a economista do IPF/MS, Daniela Dias.

O estudo aponta também que em Corumbá e Ladário as comemorações da data podem gerar movimentação de R$ 2,06 milhões este ano, com gasto médio de R$ 62. Dos entrevistados, 51,13% manifestaram o desejo de comemorar. Em 2019, o fluxo financeiro projetava circulação de R$ 3,86 milhões com celebrações, enquanto 55,38% das pessoas ouvidas pela pesquisa pretendiam gastar média de R$ 133,04.

Curiosamente, num cenário pós-pandemia do novo coronavírus, Corumbá registraria - segundo projeções da Fecomércio MS/Sebrae MS - circulação financeira menor no gasto com presentes, que poderia chegar a R$ 3,28 milhões. Por sua vez, os gastos com comemorações seriam maiores, sendo estimados em R$ 3 milhões pela pesquisa.

"Observa-se com isso, que o apelo emocional advindo, principalmente, do isolamento e distanciamento social, tem interferido nas tendências de consumo e de comemorações”, reforçou Daniela.

Presentes

Em nível estadual, a pesquisa aponta preferência de compras por roupas (27%) para presentes. Mas, há crescimento percentual na compra de artigos de cosmético (perfume, loção pós-barba), 15%, e de relógios, 12%. O contingente de pessoas que ainda não sabem o que vão comprar é de 18%. O estudo detectou a forte tendência de comprar nas lojas físicas (74%). 

A pesquisa foi realizada por telefone com 1.693 pessoas entre os dias 22 de junho e 05 de julho nas cidades de Campo Grande, Dourados, Corumbá, Ladário, Bonito, Coxim, Três Lagoas e Ponta Porã. Tem 95% de confiança e, a depender do município, as margens de erro variam entre 5% e 6%. Com informações da Fecomércio MS.

PUBLICIDADE